Fiat não sabe quando convocará donos de Stilo

Marcelo Moreira

10 de março de 2010 | 22h50

MARCELO FENERICH – JORNAL DA TARDE

Alegando ter sido pega de surpresa com a ordem para que convoque os donos do Stilo às oficinas, a Fiat informa que ainda não sabe quando dará início ao recall do modelo.

Na terça-feira o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) determinou que a fabricante substitua os cubos das rodas traseiras do hatch, cuja quebra teria provocado pelo menos 30 acidentes e oito mortes. As peças, feitas de ferro fundido, devem ser trocadas por outras, de aço forjado.

A montadora informa que não teve conhecimento prévio do laudo emitido pelo Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi) – contratado pelo Denatran – e que vai recorrer da decisão.

“Nossa engenharia constatou que o Stilo não apresenta risco ao consumidor. Entretanto, somos obrigados a atender a determinação do DPDC”, afirma o assessor técnico da Fiat, Carlos Henrique Ferreira. “Como ainda não sabemos o número de carros envolvidos, não há nenhum tipo de campanha para a convocação.”

O diretor executivo do Procon-SP, Roberto Pfeiffer, espera que a montadora faça a convocação entre hoje e amanhã. “Se não houver definição até o início da próxima semana, vamos mover uma ação determinando o recall imediato.”

Ricardo Murishita Wada, diretor do DPDC, informou que os Stilo sem freios ABS produzidos desde abril de 2004 devem ser reparados – o primeiro comunicado incluía apenas os feitos até 2008.

Além do Stilo, a Fiat pode ter de convocar outros modelos às oficinas. Segundo Pfeiffer, o Procon investiga o uso do mesmo material do cubo das rodas do hatch médio em mais carros da marca.

Pelo menos um acidente com características semelhantes está em análise pela justiça de Mato Grosso do Sul envolvendo um Siena 2008. A dona do sedã, Regina Lima de Araújo, diz que a roda esquerda traseira se desprendeu enquanto ela trafegava por uma rodovia.

Mais conteúdo sobre:

FiatRecallStilo