Ex-sócios de clubes voltam a ser cobrados

crespoangela

26 de novembro de 2007 | 10h59

SAULO LUZ
Uma liminar do Ministério Público não foi suficiente para evitar que a empresa Rusk Consultoria e Administração Ltda. voltasse a cobrar mensalidades ou pendências de ex-sócios de clubes. Em agosto, o Ministério Público entrou em acordo com os clubes e a consultoria, autorizando a cobrança da dívida só para quem não foi atingido pelo prazo de prescrição de dívidas (5 anos).
Agora, em vez de mandar aviso de cobrança extrajudicial e cobrar os ex-associados por telefone, mandam pelo correio um boleto de cobrança com o nome de outra empresa, a Union National, com a afirmação de que se não houver pagamento o nome será protestado.
Os ex-sócios, que preferem não se identificar, não sabem o que fazer. “Recebemos um título de cobrança do Bradesco no valor de quase R$ 2 mil, sujeito a protesto após 3 dias do vencimento”, contam. “Já faz mais ou menos 10 anos que não freqüentamos o Clube Fantasy. Não entendemos por que estamos recebendo cobrança.”
Márcia Christina Oliveira, técnica de Defesa do Consumidor do Procon-SP, afirma que a cobrança é irregular, visto que a ação do Ministério Público continua valendo contra a Rusk e ninguém deve pagar nada. E foi proibido colocar o nome da pessoa cobrada no SPC ou na Serasa. “A única coisa importante é verificar se os títulos são realmente antigos. De qualquer forma, o pagamento não deve ser feito para a Rusk”, completa.
Quem está sendo cobrado está revoltado. “Se a ação está valendo o caso é mais grave, pois a Rusk está desafiando todo o poder constituído não dando a mínima a uma liminar”, indigna-se um dos consumidores cobrados, que ainda afirma que, recentemente, recebeu uma correspondência do clube Fantasy informando que nenhuma empresa ou assessoria jurídica está autorizada a efetuar cobranças em nome deles. “Ligamos para a Rusk e a atendente disse que a carta do clube não tem validade. O que fazemos?”
Quem está passando por essa situação deve entrar em contato com o MP pelo telefone 3119-9061 ou ir à Rua Riachuelo 115, 1º andar. A ação do MP contra a Rusk, de número 583.00.2006220397-8, está disponível para consultas na 35ª Vara Cível, no Fórum João Mendes. Consumidores que chegaram a pagar têm direito à devolução do dinheiro em dobro, pois a cobrança é indevida. Para isso, deve recorrer ao Juizado Especial Cível e abrir um processo para se proteger.
O entrou em contato com 4 clubes citados: Fantasy Acqua Park, Clube de Regatas Tietê, Clube dos Bancários, Clube de Campo Associação Atlética Guapira. Todos afirmaram que não possuem mais contrato com a Rusk e a cobrança não está sendo feita em nome deles. O Fantasy está estudando a abertura de inquérito policial. O Bradesco informou que não possui nenhum tipo de negócio com a Rusk.
A Union National, por sua vez, diz que está entrando com uma ação judicial contra a Rusk, pois também está sendo vítima e seu nome está sendo usado indevidamente. Já a Rusk nega que esteja usando o nome da Union National e está cobrando somente quem deixou de pagar os clubes nos últimos 5 anos, cumprindo acordo estipulado pelo Ministério Público.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.