Escolas devem dar assistência a crianças doentes?

Marcelo Moreira

07 de novembro de 2008 | 21h05

A coluna Advogado de Defesa-Defesa do Consumidor do Jornal da Tarde está iniciando a apuração de uma reportagem sobre a responsabilidade das escolas particulares no atendimento a crianças matriculadas portadoras de doenças crônicas. Na maioria dos casos, diretoras e professoras se eximem de qualquer responsabilidade na aplicação de medicamentos, seja por receio de eventuais problemas ou por preocupação com gastos adicionais.

O assunto foi abordado recentemente na edição de 8 de outubro da revistas Veja SP. O cronista Walcyr Carrasco narrou o caso de sua sobrinha Alice, que tem 5 anos e sofre de diabetes. Ela estuda em uma escola em Paulínia, no interior do Estado, e enfrenta dificuldades durante o período de aulas, pois o estabelecimento não está preparado para ministrar a insulina de quela necessita.

Além da opinião de nossos leitores, gostaríamos de receber informações sobre casos semelhantes ao da menina Alice para incrementar a reportagem. Se você tiver informações sobre o assunto, por favor, deixe um comentário ao final deste texto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.