Empresas se preparam para as novas regras do call center

Marcelo Moreira

08 de outubro de 2008 | 21h47

MARÍLIA ALMEIDA – JORNAL DA TARDE

Além do cadastro estadual que bloqueia ligações de telemarketing, as empresas também devem se preparar para as novas regras do call center. Após decreto assinado no dia 31 de julho pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, as companhias têm até dezembro para esta adaptação.

Entre as novas regras, estão a opção de cancelamento imediato de serviços, opção para falar com atendente no 1º menu eletrônico e em todas subdivisões, cinco dias úteis para responder a cada demanda e SACs 24H se os serviços fornecidos forem ininterruptos, além de um único número telefônico para variados serviços.

Caso não padronizem o atendimento com estes requisitos, as empresas também poderão ser multadas em até R$ 3 milhões pelo Código de Defesa do Consumidor.

De 11 empresas consultadas pela reportagem entre os setores que serão atingidos (telecomunicações, sistema financeiro, aviação civil, serviços públicos e planos de saúde), só uma oferece atualmente a opção para falar com uma atendente no primeiro menu. Em outras duas, o consumidor já é atendido diretamente por um funcionário.

A SulAmerica e a Telefônica declaram que atualmente já possuem centrais de atendimento 24h. Miguel Cui, diretor executivo de clientes da Claro, afirma que a empresa já oferece a possibilidade de cancelamento imediato de serviços pelo seu call center, mas critica o tópico que obriga que a ligação seja passada para apenas mais um atendente. “Temos uma gama muito extensa de serviços”, argumenta.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.