Empresa que ignora o consumidor não merece respeito

Marcelo Moreira

09 de janeiro de 2012 | 16h12

Empresa que simplesmente ignora o consumidor quando este reclama não merece condescendência. Tem de ser punida pelas autoridades e pelo mercado. É o que acontece com a Fatto a Mano, que insiste em não resolver a situaçãodescrita pelo leitor Ricardo Gomes dos Santos, de São Paulo:

“Em agosto, eu e meu irmão compramos dois ternos no valor total de R$ 400 na Fatto a Mano. Durante a compra a vendedora informou que os ajustes dos ternos são serviços gratuitos oferecidos pela loja, e que portanto eu poderia levar as roupas para casa e retornar na semana seguinte.

Fiz isso e eles me entregaram um canhoto para que eu pudesse retirar as calças dias depois, mas devido a minha indisponibilidade de horário, só pude comparecer na loja cinco dias após a data combinada. O problema é que eles não encontraram a mercadoria. O gerente pediu que eu aguardasse mais 15 dias, pois eles iriam verificar o caso e me retornariam dando uma posição.

Sem o devido retorno dentro do prazo, liguei e eles pediram para eu levar os ternos para que eles pudessem solicitar novas calças, de acordo com as cores e modelos da parte de cima que eu comprei. Só que agora, a Fatto a Mano quer me cobrar R$ 8 para ajustar as calças. Resisti, mas acabei pagando. Porém, tive outro problema: uma das calças veio na cor errada. Estou há quase quatro meses sendo desrespeitado por esta empresa.”

RESPOSTA DA FATTO A MANO Conforme mencionado pelo próprio cliente, foram oferecidas duas calças de acordo como a referencia do paletó que haviam sido adquiridos e após o mesmo, já em sua residência, notar que o tom da calça de seu irmão não era igual ao do paletó foi oferecido a troca do terno por completo para assim resolvermos o problema. Porém, o cliente não aceitou. Em relação aos serviços de ajuste, oferecemos por tempo limitado o serviço como cortesia.

COMENTÁRIODA REDAÇÃO: Ninguém contatou o consumidor.

Tudo o que sabemos sobre:

Fatto a Mano

Tendências: