Dívida crônica tem, sim, solução

crespoangela

07 Fevereiro 2007 | 16h45

Texto de Maíra Teixeira

Cerca de 42 milhões de brasileiros sofrem com o endividamento crônico, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Isso significa que mais de 22% da população tem dívidas impagáveis de acordo com a sua possibilidade de ganho. Ou seja, o brasileiro gasta muito mais do que ganha e do que pode pagar.

São vários fatores que colocam fermento nesse nicho de mercado, o dos superendividados, que rende bilhões aos bancos e instituições financeiras. O consultor financeiro e especialista em economia doméstica e direitos do consumidor Cláudio Boriola aponta o crédito fácil, cotidianamente anunciado sob empréstimos “sem restrição”, “sem consulta ao SPC”, “sem burocracia”, “dinheiro vivo, na hora” e ainda com o uso crescente do cheque especial como os principais vilões do endividamento crônico.