Cuidados na compra de material escolar

Marcelo Moreira

28 de janeiro de 2010 | 16h31

DANIELA FRANCISCA LIMA
Advogada de Direito do Consumidor e Cível do escritório Innocenti Advogados Associados

No mês de janeiro é época em que a maioria das escolas inicia o período de matrícula e rematrícula, com a entrega de lista do material escolar, sendo importante aos pais observar certos cuidados.

A escola tem obrigação de fornecer a lista completa de materiais com antecedência, para possibilitar aos pais a pesquisa de preços e fornecedores. É importante ressaltar e esclarecer que materiais de uso coletivo como, por exemplo, copos descartáveis, materiais de limpeza e giz, não podem ser incluídos na lista, pois a compra dos mesmos já está inclusa na mensalidade escolar. Bem como, a escola não poderá exigir que os materiais sejam adquiridos em seu próprio estabelecimento, pois se trata de prática abusiva ao consumidor.

É importante, antes de ir às compras, verificar quais os materiais escolares podem ser aproveitados de anos anteriores. Comprar no atacado, com a companhia de outros pais, também pode ser uma solução para tornar a lista mais barata.

Com a lista atual em mãos, é imprescindível que se realize uma pesquisa de preços, levando em consideração as taxas de juros em caso de compra a prazo. Em pesquisas realizadas por órgãos de defesa do consumidor em anos anteriores, os preços dos materiais escolares chegam a variar em até 300%.

A melhor opção, sempre que possível, é pagar à vista, solicitando descontos. Caso a opção seja pela compra a prazo, é importante estar atento a todas as condições impostas pelos lojistas, com o objetivo de evitar prejuízos financeiros futuros.

O consumidor deve sempre exigir a nota fiscal com a discriminação dos produtos, pois em caso de problemas, ele poderá efetuar a troca, conforme os direitos protegidos pelo Código de Defesa do Consumidor. O consumidor deve estar atento aos prazos para efetuar eventuais reclamações: 30 dias para os produtos não duráveis e 90 dias para os produtos duráveis.

Caso os pais pretendam comprar o material escolar pela internet, devem verificar a cobrança de taxas ou fretes. Além disso, devem se certificar que a loja escolhida tenha um representante físico, na qual pode trocar o produto em caso de problemas ou defeitos.

Outro ponto que os pais devem estar atentos é com relação aos contratos firmados com escolas particulares. Este documento deve ser redigido de forma clara e simples, constando os direitos e deveres de cada parte, bem como o valor das mensalidades, que não pode ser reajustado em prazo inferior a um ano. Em caso de rematrícula, esta não pode ser cobrada, pois se trata de uma renovação, que deve estar já inclusa no valor do contrato.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.