Cuidado com a cesta de Natal mais leve

Marcelo Moreira

11 de dezembro de 2008 | 23h28

SAULO LUZ – JORNAL DA TARDE

  • Produtos com a quantidade menor do que anuncia o pacote ou embalagem. Esse foi o principal problema encontrado pelo Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP) na fiscalização de produtos natalinos realizada entre 8 e 10 de dezembro no Estado de São Paulo.

  • O órgão encontrou irregularidades em 19,68% dos produtos para ceia natalina, seja nos enfeites natalinos ou nas frutas cristalizadas.

    O Ipem analisou 188 lotes de produtos natalinos – panetones, vinhos, espumantes, papel de presente, sobremesas e frutas secas, entre outros produtos consumidos nas festas de fim de ano.

    “Fazemos essa operação para prevenir o consumidor contra possíveis erros na quantidade e nas dimensões de produtos consumidos nessa época”, explica Vilma Leila Raimondi, técnica do laboratório do Ipem na capital.

    No total, 37 lotes (19,68%) de produtos estavam em menor quantidade do que indicavam suas embalagens. As maiores reprovações ocorreram com enfeites de natal e frutas cristalizadas.

    No laboratório de São José do Rio Preto, por exemplo, faltavam em média 78 cm no comprimento de cordões para enfeitar árvores de Natal.

    Na Capital, as maiores irregularidades foram nas embalagens de 200g de damasco seco (em uma marca falta em média de 5,6 g) e de grama artificial (enfeite natalino para presépios).

    Além da ação do Ipem, Vilma explica que é importante que o próprio consumidor busque seus direitos. “No mercado, o consumidor pode colocar o produto na balança e conferir se o peso da embalagem está sendo descontada. A caixa dos panetones de 500g, por exemplo, costumam pesar cerca de 60g. O peso total deve ser, portanto, 560g”, diz.

    As empresas irregulares foram autuadas e devem retirar os lotes de produtos defeituosos do ponto de venda.

    Há um prazo dez dias para apresentação de defesa, caso contrário, podem sofrer penalidade administrativa, que varia de R$ 100,00 ao pagamento de multas de até R$ 50 mil, dobrando na reincidência. O consumidor pode denunciar irregularidades ao Ipem pelo telefone 0800-013-0522.