Crescem as irregularidades na conversão de motores para gás

Marcelo Moreira

18 de dezembro de 2008 | 00h50

SAULO LUZ E ELENI TRINDADE – JORNAL DA TARDE

A novidade no ranking da Ouvidoria do Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP) de janeiro a novembro são as oficinas que fazem conversão de veículos para gás natural.

Apesar de ocupar apenas a sexta posição no levantamento em números absolutos, o setor tem o maior percentual de reprovações e autuações (73,7%).

Segundo a ouvidora do Ipem-SP, Pasqualina da Silva, isso aconteceu porque grande parte das oficinas de conversão para gás estavam funcionando sem o registro obrigatório concedido pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e do Ipem. “Alguns casos são de oficinas clandestinas e outros são de estabelecimentos que estavam com o registro vencido e ainda não renovaram.”

A primeira colocação do ranking ficou com as bombas de combustível, com 288 reclamações e 52 autuações(19,5%) no acumulado do ano.

“Este ano tivemos os casos dos postos de gasolina que usavam alguns métodos e dispositivos para burlar a fiscalização. recebíamos as denúncias dos consumidores, mas não encontrávamos nada na fiscalização. Até que foi feita uma investigação maior e detectada a fraude em uma rede de postos”, explica a ouvidora.

No segundo lugar do ranking está o hidrômetro, com 275 queixas (aumento de 88% em relação ao mesmo período do ano passado).

Os hidrômetros têm um grande índice de reprovação, mas a ouvidora ressalta que, em muitos casos, a concessionária não é a culpada. O medidor de água é seguido pelas reclamações de balança – com 126 reclamações e 29 autuações(25%).

Novas regras

Os outros itens mais reclamados do ranking são pão de sal, com 107 registros e capacetes, com 64 queixas (aumento de 814% em relação ao ano passado).

Segundo o órgão, o aumento atípico se deve à adoção da obrigatoriedade do selo do Inmetro nos capacetes, logo no início de 2008. “Esse aumento tem uma razão bem clara, assim como há um ano e meio atrás tivemos problemas quando o pão francês passou a ser vendido por peso”, justifica Silva.

No total, a Ouvidoria atendeu a 10.399 solicitações no período, dentre denúncias, dúvidas, sugestões e reclamações sobre produtos, serviços e instrumentos de medição.

Para denunciar qualquer irregularidade em produtos e instrumentos de medição, o consumidor deve procurar a Ouvidoria do Ipem por telefone (0800-0130522) ou por e-mail (ouvidor-ipem@ipem.sp.gov.br).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.