Convênios: avalie o número de queixas

Marcelo Moreira

24 de maio de 2011 | 17h44

Saulo Luz

Outra maneira de o consumidor saber se o seu plano de saúde está bem é analisar a qualidade do atendimento.
“Existem alguns indícios de que a empresa já não está indo bem: muitos descredenciamentos de prestadores de serviços, profissionais e laboratórios sem a substituição (normalmente isso ocorre porque o plano não está pagando).

ambém é recomendável conversar com os profissionais e perguntar se estão recebendo em dia ou atrasado”, diz Juliana Ferreira, advogada do Idec.

Outro fator que deve ser analisado é o Ranking de Reclamações da ANS, no site da operadora (veja acima) – uma ferramenta mais dinâmica, já que é atualizada mensalmente.

Dentre as 18 empresas citadas pelo JT, 13 foram relacionadas no ranking de queixas das empresas de grande porte da agência reguladora de fevereiro de 2011, o último divulgado.

São elas: Golden Cross (4º), Samcil (6º), Amico (7º), Amil Saúde (8º), Unimed Paulistana (15º), Prevent Senior Private (19º), Green Line (31º), Bradesco (42º), Unimed Seguros Saúde (57º), Marítima (61º), Intermédica (64º), Porto Seguro (71º) e Assimédica (75º).

No ranking de reclamações contra empresas de médio porte aparecem Itálica (2º), Trasmontano (42º), Serma (61º), São Cristóvão (22º), Omint (81º). Prevent Senior Corporate ficou no ranking das pequenas operadoras ( 6º).