Conta de luz residencial sobe 1,03%

As chuvas que deixaram SP embaixo d’água no início do ano colaboraram para que a conta de luz de consumidores e empresas não tivesse um aumento tão expressivo em 2010. Assim, a Aneel autorizou a Eletropaulo a aplicar reajuste

Marcelo Moreira

30 de junho de 2010 | 23h00

Carolina Dall’Olio 

As chuvas que deixaram São Paulo embaixo d’água no início do ano colaboraram para que a conta de luz de consumidores e empresas não tivesse um aumento tão expressivo em 2010.

Assim, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou a Eletropaulo a aplicar, a partir do próximo domingo (4), reajuste de 1,03% na tarifa de energia elétrica residencial e de 1,11% para a tarifa industrial. Para os consumidores de baixa renda, haverá redução do preço: a tarifa vai ficar 6,5% mais barata.

Na média, o reajuste foi de 0,9%. A contribuição para que o reajuste fosse menor este ano veio, principalmente, da redução dos custos de transmissão da energia elétrica e das chuvas excessivas de janeiro e fevereiro, que tornaram praticamente desnecessária a geração de energia termoelétrica (cujo custo é mais elevado).

Graças a esses dois fatores, portanto, o bolso do consumidor vai enfrentar aumentos bem menores que os de 7,12% e 12,96%, registrados em 2008 e 2009.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: