Conta de água de condomínio será individualizada

Marcelo Moreira

15 de dezembro de 2008 | 23h53

RODRIGO GALLO – JORNAL DA TARDE

A Sabesp anuncia hoje como funcionará a medição individualizada dos registros de água nos condomínios de todos os 364 municípios atendidos pela empresa. Com isso, a conta mensal deixa de ser rateada entre os moradores do prédio, e cada condômino passa a pagar apenas por aquilo que gastar. Pelos cálculos do Grupo Hubert, que atua no setor imobiliário com vendas e locação, a economia na tarifa pode chegar a 20%, em média.

A empresa criou um programa chamado PróAcqua, em parceria com o Centro de Desenvolvimento e Documentação da Habitação e Infra-Estrutura Urbana (Cediplac), da Universidade de São Paulo (USP), cujo objetivo é treinar e capacitar empresas e profissionais para instalar os medidores individuais.

Para que os equipamentos sejam colocados no edifício, o síndico (ou a empresa administradora do condomínio) deverá entrar em contato com a PróAcqua. Os técnicos vão elaborar um projeto de individualização, que será diferente para cada prédio, por conta de tamanho e número de unidades residenciais.

Em seguida, a própria PróAcqua poderá indicar uma empresa ou profissional que já tenha sido certificado e credenciado para a execução do projeto. A Sabesp informou que o custo da instalação varia de acordo com o tamanho do condomínio.

No entanto, os benefícios podem ser interessantes: de acordo com a Hubert, os moradores poderão economizar até 20% na tarifa de água, todos os meses.

O motivo é que, com o custo sendo dividido entre todos os condôminos, é comum alguns consumidores não se preocuparem em economizar. Mas com a individualização, cada um vai pagar exatamente pelo próprio consumo mensal.

No ano passado, um porta-voz da Techem – empresa que instala medidores individuais de água – informou ao JT que cerca de 70% dos moradores de prédios da Capital pagam uma tarifa acima daquilo que efetivamente consomem, segundo levantamento da própria companhia.

A Techem informou que cada medidor custa em média R$ 500 por hidrômetro. Geralmente, edifícios mais antigos possuem dois, enquanto as unidades residenciais mais novas foram construídas com um.

Entretanto, esse valor pode ficar ainda mais baixo. É possível que algumas empresas façam parceria com os condomínios maiores, para oferecer promoções aos moradores.

Em novembro do ano passado, o síndico de um prédio no Limão,na zona norte, informou que o consumo de água em todo o prédio caiu 42% no mês seguinte à instalação das medidores individuais.

A conta mais barata refletiu também na queda dos índices de inadimplência no edifício: passou de 27% para 3%. Segundo a Hubert, os gastos com água representam entre 10% e 15% dos custos totais dos condomínios.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.