Consumidor ignora recall automotivo

Um levantamento feito pela GFK – quarta maior empresa de pesquisa do mundo – mostra que 62% dos brasileiros não se lembram ou desconhecem a ocorrência de um recall automotivo. Só este ano, foram feitas no País ao menos 22 convocações para reparos em veículos de passeio

Marcelo Moreira

23 Julho 2010 | 21h20

Luciele Velluto

Um levantamento feito pela GFK – quarta maior empresa de pesquisa do mundo – mostra que 62% dos brasileiros não se lembram ou desconhecem a ocorrência de um recall automotivo. Só este ano, foram feitas no País ao menos 22 convocações para reparos em veículos de passeio, sem contar modelos utilitários e motos.

A pesquisa foi feita em março nas principais regiões metropolitanas do Brasil. E foram entrevistadas 1 mil pessoas, independente delas terem um carro que esteve na lista do recall.

O desconhecimento da necessidade de reparo solicitado pelas montadoras é maior ainda quando se trata do público feminino ou jovem, pois 71% das mulheres disseram desconhecer o tema e 69% dos entrevistados entre 18 e 24 anos também não lembrava de qualquer recall automotivo.

A classe A e B se mostrou a mais informada: 52% se lembravam das convocações. Entre as regiões, os mais atentos são os moradores do Sul do País, com 50% de conhecimento. O que mais desconheciam o assunto eram os moradores do Nordeste, com 71%.

A Fiat foi a marca mais lembrada entre as que fizeram recall, com 14% das repostas, seguida de Volkswagen, com 11%, e Toyota, com 9%.

Para o diretor de atendimento em novos negócios da GFK, Antonio Carlos Perrella, o desconhecimento do brasileiro quanto aos recalls de automóveis mostra uma deficiência na comunicação das empresas em relação às convocações e à necessidade de reparos.

 Comunicação é suficiente

O presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Sérgio Reze, diz que a comunicação é suficiente. “O resultado da pesquisa mostra a forma de ser do consumidor brasileiro, que não se atenta ao tema. As pessoas precisam ser responsáveis por seus atos.”

Outra justificativa para o grande número de brasileiros que desconhece as convocações das montadoras pode ser pelo assunto ser recente no País, e ainda de pouca abrangência. “Ainda temos um número muito tímido de recalls. São 56 modelos em dois anos, enquanto nos Estados Unidos são 500 no mesmo período”, diz Renata Farias, consultora técnica do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).

Mesmo assim, a especialista admite que ainda é necessário uma comunicação mais eficiente por parte dos fabricantes de veículos.

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) cogitou bloquear os documentos de veículos que não passarem pelo recall, mas o Código Brasileiro de Trânsito não permite tal medida.