Consumidor da periferia reclama de cobranças indevidas, diz Procon

Marcelo Moreira

13 de novembro de 2008 | 21h36

SAULO LUZ – JORNAL DA TARDE

Ser cobrado por algo que não foi contratado ou utilizado é o grande problema dos consumidores que vivem nos extremos Oeste, Leste, Norte e Sul da capital, segundo pesquisa da Fundação Procon-SP realizada nos postos dos Centros de Integração da Cidadania (CICs) em regiões periféricas da cidade.

Mais da metade das queixas registradas são dúvidas quanto a valores e cobranças indevidas ou abusivas. De acordo com o levantamento, telefonia (fixa, móvel e serviços telefônicos especiais), cartões (desconto, crédito e loja) e bancos comerciais são os assuntos campeões de reclamações na periferia da cidade.

Na telefonia, 80% das queixas dizem respeito a cobrança indevida – o restante são serviços não fornecidos e não cumprimento de oferta.

É o que acontece, com freqüência, com a auxiliar administrativo Claudiane de Almeida Costa, 22 anos, que mora no Jardim Maringá, região de Interlagos. Ela conta que não agüenta mais receber cobrança de ligações telefônicas que nunca fez.

“Quase todo mês recebemos essas cobranças indevidas. Algumas delas são DDD, com ligações para cidades do interior e até de Minas Gerais”, conta. Ela diz que já reclamou para a Telefônica várias vezes e somente em duas delas a empresa corrigiu o problema. “Este mês já reclamei, mas não me deram nenhuma solução.”

Além da telefonia, bancos comerciais e cartões também são campeões de reclamações entre os consumidores, sendo 81% referente a cartões de crédito, 13% de lojas e 6% à cartões de desconto.

Segundo o levantamento, feito com dados do primeiro semestre desse ano, a maioria dos usuários do CIC têm renda familiar de 3 a 6 salários mínimos. “Apesar da periferia ter acesso ao crédito, falta informação por parte das empresas”, diz Cristina Rafael Martinussi, supervisora de Estudos e Pesquisas do Procon-SP.

A Telefônica informa que as ligações de longa distância mencionadas pela cliente foram feitas por outra operadora e encaminhou a segunda via, excluindo as chamadas indevidas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.