Condomínio: mais ações por conta da indaimplência

Pesquisa do Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), realizada nos fóruns da cidade de São Paulo, mostra que o número de ações de cobrança por falta de pagamento da taxa de condomínios cresceu 34,6%

Marcelo Moreira

23 de junho de 2010 | 18h10

Pesquisa do Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), realizada nos fóruns da cidade de São Paulo, mostra que o número de ações de cobrança por falta de pagamento da taxa de condomínios cresceu 34,6%. Em maio, foram registrados 1.199 casos, contra 891 no mês anterior. 

O  estudo  também apontou, por outro lado, estabilidade nas ações acumuladas nos cinco primeiros meses dos últimos dois anos. Entre janeiro e maio de 2010 computou-se 4.522 ações, contra 4.501 totalizadas em igual período do ano passado, ou uma redução de apenas 0,46%. 

O vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Sindicato, Hubert Gebara, acredita que a queda registrada em abril de 2010 deve ser retomada, já que, desde que foi aprovada a Lei 13.160, em julho de 2008, permitindo o protesto de boleto de condomínio, mudou o comportamento dos inadimplentes.  

“Com a lei, os condôminos receiam ter seus nomes incluídos nos serviços de proteção ao crédito, o que é muito positivo.  Até então, alguns moradores davam preferência ao pagamento de outras contas, ao invés de pagar o condomínio, cuja multa por atraso é de apenas 2%”, afirma Gebara.

Tudo o que sabemos sobre:

condomínioInadimplênciaSecovi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: