Como agir caso o sistema do banco fique fora do ar

Marcelo Moreira

01 de fevereiro de 2012 | 17h30

O Procon-SP alerta sobre a ação de um grupo de hackers, denominado Anonymous, que tirou do ar o site do Itaú Unibanco por, pelo menos, seis minutos, na segunda-feira. Ontem os hackers voltaram a atacar o site do Bradesco, que ficou duas horas inoperante.

Por volta das 12 horas, o portal já havia sido restabelecido. O banco não confirma o ataque. Em comunicado à imprensa, a assessoria do Bradesco justifica que o “site apresentou momentos de intermitência com volume de acessos acima da média, mas não chegou a ficar fora do ar”.

Segundo o Procon, a instituição financeira é responsável pela segurança do sistema de serviços que presta, por isso, a dica para o consumidor é que utilize os outros canais de atendimento – telefone, caixas eletrônicos e agências bancárias.

Se notar qualquer informação estranha na conta, o correntista deve procurar a gerência do banco. O grupo ameaça deixar inoperantes sites de outros bancos. O consumidor que quiser fazer uma reclamação, pode procurar um dos canais de atendimento do Procon no 151 ou nos postos do Poupatempo.

Os hackers brasileiros alegam que o ataque, assim como outras invasões do grupo, é um protesto contra a “corrupção”. Chamada de #OpWeeksPayment, operação semana de pagamento, a ação faz alusão aos pagamentos de salários comuns no início dos meses.

Tudo o que sabemos sobre:

bancosBradesco

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.