CMN amplia valor máximo para empréstimos de microcrédito

Marcelo Moreira

26 de março de 2009 | 19h26

DA AGÊNCIA ESTADO E DA AGÊNCIA BRASIL

O Conselho Monetário Nacional (CMN) ampliou o valor máximo das operações de microcrédito. Para o crédito a pessoas físicas, com contas simplificadas ou de baixa renda, o limite individual de empréstimos passou de R$ 1 mil para R$ 2 mil.

O CMN também elevou de R$ 10 mil para R$ 15 mil o teto das operações de microcrédito produtivo orientado, crédito para pequenos negócios operado com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

No crédito para o microempreendimento (abertura de pequenos negócios), o teto foi ampliado de R$ 3 mil para R$ 5 mil por operação. Antes limitada a R$ 15 mil, a soma dos financiamentos por pessoa física ou microempresa agora terá teto de R$ 20 mil.

Para operar o microcrédito, as instituições financeiras são obrigadas a destinar 2% dos depósitos a vista para empréstimos a pessoas de baixa renda e microempresários. Apesar da obrigação, os bancos só estão emprestando, em média, metade desse valor.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.