Clientes Speedy relatam pane

Marcelo Moreira

09 de abril de 2009 | 16h52

SAULO LUZ – JORNAL DA TARDE

Horas sem poder usar a internet no trabalho ou em casa por conta de falhas na conexão do serviço de banda larga da Telefônica (Speedy).

Consumidores de vários pontos do Estado de São Paulo relataram diversos casos de problemas no serviço(conexão e navegação) desde a última segunda-feira. Em janeiro deste ano, um incêndio no prédio da Telefônica em Barueri (Grande São Paulo) causou problemas semelhantes.

Ao que tudo indica, desta vez os problemas teriam começado na noite da última segunda-feira e se estendido até as 23h de terça.

No período, casos de impossibilidade de conexão foram relatados em diversos pontos da região metropolitana (que engloba a capital e cidades circunvizinhas), além de cidades do interior, como Campinas e São José dos Campos.

O biólogo Ricardo Luiz Pires Boulhosa, 44 anos, percebeu o problema na manhã de terça-feira. “Passei o dia inteiro sem a conexão que só voltou às 23h.”

Ele tentou falar com o serviço de atendimento telefônico da empresa, mas o número estava sempre ocupado. “Quando finalmente consegui ser atendido, disseram-me que estavam com problemas técnicos que seria solucionado até as 16h,o que não aconteceu”, conta.

O comerciante Edilson Ribeiro de Oliveira, 43 anos, também conta que o problema atrapalhou muita gente.”Moro em Barueri e aqui a pane também foi grave. Vários amigos e parentes não conseguiram trabalhar na terça-feira”, conta.

O Procon-SP notificou a empresa pedindo esclarecimentos sobre os problemas. “Essas reclamações do serviço Speedy têm se tornado recorrentes”, diz Fátima Lemos, assistente de direção do Procon-SP.

Ela recomenda que os clientes que sentirem lesados formalizem queixa no órgão. ” A partir de quatro horas sem serviço, o consumidor tem direito ao abatimento proporcional do valor de um dia inteiro na conta. Além disso, pode pedir na Justiça o ressarcimento de eventuais danos materiais e morais que tenha sofrido.”

A Telefônica informa que anteontem foram detectadas dificuldades de navegação, mas a empresa “mobilizou suas equipes para normalizar a situação o que, efetivamente, ocorreu as 21h30 de terça-feira”.

Apesar disso, o jornalista Rodrigo Herrero Lopes, 26, que mora no centro da Capital, continuava sem o Speedy até a noite de ontem. “O problema prossegue, não consigo o acesso. A mensagem é a mesma: ‘erro 678′. O computador remoto não respondeu’.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.