Claro é condenada por incluir indevidamente nome de cliente na Serasa

Marcelo Moreira

03 de julho de 2009 | 22h06

Por descumprir um acordo firmado judicialmente, e inserir o nome de um cliente indevidamente no cadastro da Serasa, a empresa BCP S/A Telecomunicações (Claro) terá que pagar R$ 8 mil a título de danos morais sofridos pelo cliente. A decisão é do juiz da 14ª Vara Cível da comarca de Belo Horizonte.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.