Cirurgia de angioplastia 'na marra'

Justiça de Santa Catarina condenou a Unimed de Florianópolis a custear a cirurgia de angioplastia de emergência de um beneficiário. O convênio se recusou a pagar alegando que o procedimento estava excluído das coberturas obrigatórias

Marcelo Moreira

13 de junho de 2010 | 19h02

 A 2ª Câmara de Direito Civil do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ–SC) condenou a Unimed de Florianópolis Cooperativa de Trabalho Médico Ltda a custear procedimento de angioplastia (cirurgia para desobstruir os vasos sanguíneos) para uma beneficiária.

Segundo o acórdão, a operação é de caráter emergencial, pois existe risco de amputação de membro inferior da paciente. A Unimed alegou que a intervenção cirúrgica está expressamente excluída da cobertura. A votação, no entanto, foi unânime.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: