Certificação para o atendimento

crespoangela

11 de julho de 2006 | 15h04

Texto de Eleni Trindade

Ficar horas ao telefone ou em uma fila interminável tentando resolver problemas com um produto ou serviço é uma verdadeira tortura para os consumidores. A maioria das cartas que chegam à coluna Advogado de Defesa (70%), além de citar dificuldades, faz referência à baixa qualidade no atendimento prestado pelas empresas. Um dos casos é o de Gisele Freitas de Souza. Ela tinha acabado de mudar sua linha de telefone para o padrão econômico e ouviu um “não” quando pediu o serviço de banda larga. “Insisti com a empresa e os atendentes alegaram que eu não tenho acesso ao serviço porque tenho a linha econômica. E ponto final”, descreve. Inconformada, ela mandou seu relato à coluna. “Tive de voltar à linha mais cara para ter o serviço e a empresa ofereceu um desconto. Mas o atendimento tem de melhorar.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.