Celulares viciados e sem condições de uso

Marcelo Moreira

23 de abril de 2010 | 22h54

Os aparelhos celulares vendidos no Brasil são sucata. A quantidade de reclamações nos Procons e na coluna Advogado de Defesa, do JT, é grande e as emrpesas fabricantes parecem pouco se importar com os produtos ruins que vendem. A Sony Ericsson continua sendo o fabricante mais reclamado.  A Motorola também tem causado bastante dor de cabeça aos seus clientes. Leia os relatos abaixo:

“No  ano passado, quando fui renovar o contrato de telefonia celular da minha empresa, aproveitamos e trocamos todos os aparelhos para Motorola. Um dos celulares teve de ir para a assistência técnica logo após duas semanas de uso. Depois que ele retornou, já teve que voltar para o conserto mais três vezes e nunca ficou menos do que 15 dias em análise.

A partir das minhas reclamações, o atendente disse que eu realmente estava certo e que a Motorola iria trocar o meu celular. Mas antes pediram para eu enviá-lo à assistência técnica pela última vez. Mais de 12 dias se passaram, liguei na empresa e eles me afirmaram que não haverá mais troca e que também não há uma data para a devolução do produto.

Não espero mais nada da Motorola, nem troca, nem assistência. Estou tendo prejuízos e dor de cabeça, por isso quero apenas que me tratem com o devido respeito que mereço como consumidor. ”

Moises D. Campos, SÃO PAULO-SP

RESPOSTA DA MOTOROLAA Motorola informa que entrou em contato com o consumidor Moises D. Campos e explicou que, para reparo do produto, o cliente deverá aprovar o orçamento gerado pelo serviço autorizado, uma vez detectada a entrada de líquido no aparelho, ocasionando a perda da garantia, conforme os termos do manual que acompanha o produto. Para esclarecer dúvida adicional, a Motorola coloca-se à disposição por meio de seu serviço de Atendimento e Vendas ao Consumidor pelos telefones 4002-1244 para as capitais e regiões metropolitanas e 0800 773 1244 para as demais localidades.

 COMENTÁRIO DA REDAÇÃO: O problema não foi solucionado. A empresa insiste nos argumentos acima e o leitor pretende entrar com uma ação na Justiça por não ter sido orientado quanto aos pequenos cuidados que deve ter com o aparelho. 

“Minha filha ganhou um celular da Hello Kitty (da Sony Ericsson) e o aparelho começou a dar defeito. Já o enviamos para a assistência técnica, mas eles não conseguem resolver o problema. Na loja em que o celular foi comprado, fomos informados de que só poderiam trocar o aparelho com um laudo da assistência técnica. O celular já foi para o conserto novamente, mas o defeito persiste. Não aceito isso, afinal, as contas continuaram chegando normalmente.”

Luciana Teixeira, SÃO PAULO-SP

RESPOSTA DA SONY ERICSSON:  Sony Ericsson informa que o aparelho celular da senhora Luciana Teixeira será trocado por um novo produto. O novo kit será entregue entre cinco e sete dias úteis na assistência técnica.

 COMENTÁRIO DA REDAÇÃO: A cliente diz que o problema não foi resolvido. A criança continua sem o aparelho que ganhou. Caso a empresa não cumpra o prazo prometido, a leitora acionará a Justiça.

Tudo o que sabemos sobre:

MotorolaSony Ericsson

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.