Carnaval:atenção com aluguel na praia

sauloluz

28 de fevereiro de 2011 | 15h46

Saulo Luz

A diária de aluguel nas casas de praia podem custar neste feriadão de carnaval de R$ 120 a R$ 1.466,67, dependendo do imóvel e da cidade onde está localizado. É o que mostra uma pesquisa do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP), que consultou 47 imobiliárias de 12 municípios do litoral paulista.

E a tendência é a de que os preço subam com a proximidade do feriado, “Embora nem sempre se consiga descontos por causa do aumento da procura, a pesquisa pode resultar em um preço menor, especialmente para os que
não deixarem para alugar na últimahora”, diz o presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto. Mas antes de fechar o negócio, o consumidor deve tomar alguns cuidados. Em primeiro lugar, é fundamental saber com quem se está negociando a locação do imóvel.

“Hámuitos espertalhões que se aproveitam das facilidades que a internet oferece para anunciar imóveis para locação que não lhes pertencem ou até que não existem. Infelizmente muitas pessoas ainda são lesadas e caem em golpescomo
esses”, alerta Neto. O viajante também deve ter certeza absoluta de que o imóvel realmente existe e está em boas condições.

“Nunca confie em foto. O ideal é visitar, antecipadamente,
o local para conferir se a casa está nas mesmas condições ofertadas, distância até a praia etc”, diz Renata Reis, técnica do Procon. Caso não seja possível ir ao local, a dica é escolher sempre um imóvel indicado por alguém conhecido,
que já esteve lá. Também é bom pedir fotos.

Para fazer um negócio mais seguro, o ideal é que o proprietários inquilino assinem um contrato.
“O contrato deve detalhar, dentre outras coisas, o endereço e o telefone o proprietário, as datas de
entrada e saída do inquilino, o valor, preço, condições de pagamento”, explica Renata. A forma de pagamento,
aliás, deve sempre deve ser negociada. “O dono pode exigir pagamento antecipado, mas é possível tentar um acordo para dar um sinal e pagar o restante após a estadia”, diz Renata, ao recomendar que o turista sempre
procure uma imobiliária para intermediar e dar mais segurança à negociação. O site do Creci-SP (www.crecisp.gov.br/temporada/index.asp) traz os registros das imobiliárias que oferecem imóveis para locação de temporada.

Problemas
Se durante a viagem o consumidor descobrir que as condições do local não cumprem como prometido,
pode pediro dinheiro de volta–mas, para isso, é preciso deixar o imóvel.“Se optar por permanecer no local,
é possível negociar uma batimento no preço, proporcional à queda na qualidade”, orienta Lucas Cabette Fábio, advogado do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Se nada adiantar, a saída é registrar uma reclamação no Procon-SP. “Paraisso, tire fotos para comprovar que a oferta que foi feita não foi cumprida e guarde o material de propaganda(e-mailsepanfletos)”, lembra Renata.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.