Brasil terá novo recall de carrinhos de bebê

Marcelo Moreira

20 de março de 2010 | 20h13

GISELE TAMAMAR – O ESTADO DE S. PAULO

Após o anúncio do recall de 1,5 milhão de carrinhos de bebê da marca Graco nos Estados Unidos em janeiro, a medida foi oficializada ontem no Brasil pelo Walmart, empresa responsável pela importação do produto no País.

Os consumidores que adquiriram os modelos Passage, Alano e Spree fabricados entre outubro de 2004 e fevereiro de 2008 devem entrar em contato com a empresa para receber uma capa protetora para a dobradiça da capota.

O mecanismo causou a mutilação da ponta dos dedos de cinco crianças americanas. No Brasil, foram vendidos cerca de 200 carrinhos, sem registros de acidentes.

Para receber a capa protetora e as instruções de instalação, o consumidor precisa entrar em contato com a Graco por telefone e informar nome, telefone, endereço e modelo do carrinho.

Caso o cliente não saiba o modelo do produto, a empresa enviará fotos para ajudar na identificação. Já quem adquiriu os modelos fabricados a partir de março de 2008 pode ficar tranquilo. A peça foi modificada, eliminando o risco de lesão.

A previsão é que a capa seja entregue em aproximadamente uma semana após o contato do cliente. A dobradiça apresenta risco de amputação ou ferimentos da ponta do dedo da criança quando o consumidor está abrindo ou fechando o carrinho se, nesse momento, a criança colocar o dedo na dobradiça.

O caso da Graco não é o primeiro recall de carrinhos de bebê. Em novembro, a fabricante inglesa Maclaren também estendeu aos consumidores brasileiros o recall realizado nos Estados Unidos depois que 12 crianças tiveram os dedos mutilados devido ao mesmo problema.

Para evitar casos como esses, a pedido do Comitê Brasileiro de Avaliação da Conformidade (CBAC) e do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) vai revisar a norma brasileira para a fabricação do produto.

Com a nova regra, o Inmetro irá testar todas as marcas e ainda poderá desenvolver um programa de certificação compulsória para os carrinhos – exigindo que todos modelos tenham o selo do órgão.

Este mês, a Comissão Especial de segurança de Carrinhos para Crianças (ABNT/CEE-144) começou a avaliar o texto da norma europeia que servirá de base para a revisão da norma nacional. A previsão é que a publicação seja feita no fim do ano.

Após tomar conhecimento do recall americano em janeiro, o Procon-SP notificou o Walmart sobre o caso. Como a empresa não respondeu a notificação e não realizou o recall, ela foi autuada – o processo administrativo segue em sigilo. Procurado pela reportagem, o Walmart não se pronunciou até o fechamento da edição. Caso o consumidor encontre dificuldade em efetuar os devidos reparos poderá procurar auxilio ou efetuar reclamação no Procon. IP8,0,0]

Mais conteúdo sobre:

carrinhos de bebêGracoRecall