Bradesco Saúde Plano é condenada a pagar R$ 76 mil de indenização a cliente

Marcelo Moreira

23 de setembro de 2009 | 19h06

SAULO LUZ – JORNAL DA TARDE

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo condenou a Bradesco Saúde a pagar R$ 76.664,00 a um segurado, que teve o fornecimento de medicamentos importados para o tratamento de um câncer– negado pela operadora.

A utilização dos medicamentos Torisel, Sutent, Nevaxar e Avastin, não comercializados no Brasil na ocasião em que foram prescritos ao paciente, foi a única alternativa dada pelos médicos para o tratamento de um câncer renal, em grau avançado, diagnosticado em 2005.

Acontece que a Bradesco Saúde negou a cobertura dos medicamentos, alegando que o fornecimento de remédios importados e ministrados domiciliarmente não estava previsto no contrato firmado. Especialistas ouvidos pelo JT dizem que as operadoras só podem impedir o medicamento importado quando houver um similar no mercado nacional.

Foram dois anos e meio de batalha judicial, mas o paciente obteve uma liminar no início para continuar o tratamento enquanto o processo tramitava na Justiça. Com a decisão, além de reembolsar o cliente, a operadora deverá oferecer todos os medicamentos necessários para o tratamento.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.