BC espera mais competição entre cartões

O diretor de Política Monetária do BC, Aldo Mendes, prevê que haverá uma redução significativa das tarifas cobradas pelas empresas que operam cartões de crédito no País

Marcelo Moreira

25 de junho de 2010 | 14h30

Célia Froufe

A nova regulamentação do setor de cartões de crédito que o Banco Central (BC) prepara deverá motivar uma maior competição entre as operadoras. Pelo menos é o que afirma o diretor de Política Monetária do BC, Aldo Mendes, que prevê uma redução significativa das tarifas existentes hoje.

Mendes, no entanto, preferiu não antecipar qual o número de tarifas que vai continuar vigorando, após o trabalho da autoridade monetária. Atualmente há mais de 50 tarifas e a própria Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviços (Abecs), admite que esse número possa cair para um total de 20 ou 30.

“Vai cair bastante”, disse Mendes, ao deixar na tarde de hoje a Câmara dos Deputados, onde participou de audiência pública sobre cartões de crédito. Indagado se a perspectiva da Abecs estaria correta, (entre 20 e 30) o executivo do BC salientou que o número poderá ser até menor.

O diretor do Banco Central não quis cravar uma data para que a alteração na resolução do Conselho Monetário Nacional seja efetivada. A mudança é necessária para que a autoridade monetária possa regulamentar as tarifas do setor. E diante da insistência das perguntas sobre prazo, respondeu que está “cada vez está mais próximo de sair”.

Tudo o que sabemos sobre:

Banco Centralcartão de créditocartões

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: