Bancos baixam juros e concorrência se acirra

Marcelo Moreira

26 de maio de 2009 | 23h45

FABRÍCIO DE CASTRO – JORNAL DA TARDE

Banco do Brasil e Bradesco anunciaram ontem a redução das taxas de juros cobradas de pessoas físicas em operações de crédito, acirrando a concorrência entre bancos públicos e privados pelos clientes.

O BB decidiu elevar o limite de crédito de 10 milhões de clientes, além de reduzir as taxas em linhas voltadas para a compra de geladeiras, fogões, materiais de construção e veículos.

Já o Bradesco reduziu os juros para a compra da casa própria e ampliou o prazo máximo de financiamento, de 25 para 30 anos.

Desde ontem, os clientes do BB já encontram, nos extratos, a descrição dos novos limites disponíveis para operações de crédito.

Foram beneficiadas pessoas com bom relacionamento com o banco, correntistas que já têm empréstimos e clientes que utilizam valores próximos do limite. Na média, cada cliente terá um aumento de R$ 1,3 mil no limite ofertado pelo banco.

As taxas de juros cobradas no empréstimo consignado para aposentados e pensionistas do INSS também caíram, de 1,60% para 1,58% ao mês. No financiamento da linha branca (fogões e geladeiras), a taxa mensal passou de 3,23% para 2,89%.

De acordo com o BB, a ampliação do crédito foi possível por conta da adoção de um novo modelo de avaliação de risco.

O vice-presidente de crédito, controladoria e risco, Ricardo Flores, explicou que a média de inadimplência do banco é menor que a da concorrência, o que permite reduzir as taxas cobradas. “Vamos emprestar mais e baratear o crédito com menor risco”, disse.

Além de ampliar de 25 para 30 anos o prazo máximo de financiamento, o Bradesco baixou a taxa de juros anual de 10% mais a taxa referencial (TR) para 8,9% mais a TR para imóveis de até R$ 120 mil. Na linha da Caixa ligada ao “Minha Casa, Minha Vida”, a taxa máxima é de 8,16% mais a TR – ainda um pouco menor.

O economista Otto Nogami, do Insper Instituto de Ensino e Pesquisa, afirma que a disputa por clientes está se acirrando. “A concorrência é boa por si só”, defende. “Há um aumento do volume de crédito nas instituições públicas, que passam a abocanhar mais clientes. E se bancos privados não se movimentarem, eles vão perder espaço.”

Para o consumidor, a concorrência significa taxas de juros menores e melhores prazos. Mas este ainda é o momento de fazer empréstimos com cautela. “É melhor gastar estritamente o necessário e postergar financiamentos, se for possível.”

A Nossa Caixa também anunciou ontem o lançamento de uma nova linha de crédito, voltada para aposentados e pensionistas do INSS.[/IP8,0,0] Segundo o banco, a iniciativa faz parte do processo de integração ao BB, seu novo controlador. Os juros serão os mesmos das linhas do BB.