Bancos baixam juros e concorrência se acirra

Marcelo Moreira

26 de maio de 2009 | 23h45

FABRÍCIO DE CASTRO – JORNAL DA TARDE

Banco do Brasil e Bradesco anunciaram ontem a redução das taxas de juros cobradas de pessoas físicas em operações de crédito, acirrando a concorrência entre bancos públicos e privados pelos clientes.

O BB decidiu elevar o limite de crédito de 10 milhões de clientes, além de reduzir as taxas em linhas voltadas para a compra de geladeiras, fogões, materiais de construção e veículos.

Já o Bradesco reduziu os juros para a compra da casa própria e ampliou o prazo máximo de financiamento, de 25 para 30 anos.

Desde ontem, os clientes do BB já encontram, nos extratos, a descrição dos novos limites disponíveis para operações de crédito.

Foram beneficiadas pessoas com bom relacionamento com o banco, correntistas que já têm empréstimos e clientes que utilizam valores próximos do limite. Na média, cada cliente terá um aumento de R$ 1,3 mil no limite ofertado pelo banco.

As taxas de juros cobradas no empréstimo consignado para aposentados e pensionistas do INSS também caíram, de 1,60% para 1,58% ao mês. No financiamento da linha branca (fogões e geladeiras), a taxa mensal passou de 3,23% para 2,89%.

De acordo com o BB, a ampliação do crédito foi possível por conta da adoção de um novo modelo de avaliação de risco.

O vice-presidente de crédito, controladoria e risco, Ricardo Flores, explicou que a média de inadimplência do banco é menor que a da concorrência, o que permite reduzir as taxas cobradas. “Vamos emprestar mais e baratear o crédito com menor risco”, disse.

Além de ampliar de 25 para 30 anos o prazo máximo de financiamento, o Bradesco baixou a taxa de juros anual de 10% mais a taxa referencial (TR) para 8,9% mais a TR para imóveis de até R$ 120 mil. Na linha da Caixa ligada ao “Minha Casa, Minha Vida”, a taxa máxima é de 8,16% mais a TR – ainda um pouco menor.

O economista Otto Nogami, do Insper Instituto de Ensino e Pesquisa, afirma que a disputa por clientes está se acirrando. “A concorrência é boa por si só”, defende. “Há um aumento do volume de crédito nas instituições públicas, que passam a abocanhar mais clientes. E se bancos privados não se movimentarem, eles vão perder espaço.”

Para o consumidor, a concorrência significa taxas de juros menores e melhores prazos. Mas este ainda é o momento de fazer empréstimos com cautela. “É melhor gastar estritamente o necessário e postergar financiamentos, se for possível.”

A Nossa Caixa também anunciou ontem o lançamento de uma nova linha de crédito, voltada para aposentados e pensionistas do INSS.[/IP8,0,0] Segundo o banco, a iniciativa faz parte do processo de integração ao BB, seu novo controlador. Os juros serão os mesmos das linhas do BB.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: