Banco é condenado por quebrar sigilo de bancário de cliente

Marcelo Moreira

11 de dezembro de 2009 | 22h35

O Banco Rural foi condenado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) a indenizar por quebra de sigilo bancário de cliente morto – um gerente passou informações sigilosas a um credor.

Em primeiro grau, o juiz condenou o banco a pagar indenização de R$ 200 mil por danos morais e pensão mensal correspondente a 2/3 do que a vítima recebia, sendo 50% aos filhos – até que completassem 25 anos – e a outra metade para a viúva até a data em que a vítima completaria 65 anos, valor a ser apurado em liquidação por arbitramento.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.