Avimed-Itálica: dois planos, atendimento zero

Marcelo Moreira

16 de abril de 2009 | 22h54

ELENI TRINDADE E SAULO LUZ – JORNAL DA TARDE

Associados e conveniados da Avimed estão recebendo carteirinhas, boletos de pagamentos e comunicados como se fossem clientes da Itálica Saúde.

Só que a aquisição da carteira de beneficiários da Avimed pela Itálica foi negada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o que parece, neste momento, não incomodar as duas operadoras.

O site da Itálica anuncia que o negócio foi realizado normalmente. O número de conveniados prejudicados pela quebra da Avimed é de cerca de 200 mil pessoas – o que equivale à população do bairro de Cidade Tiradentes, na zona leste da capital. A Avimed quebrou no começo deste ano.

A ANS informou, por meio de assessoria de imprensa, que está analisando se a Itálica poderá assumir os conveniados da Avimed e que divulgará sua decisão nos próximos dias. Sobre o envio de carteirinhas e boletos, a agência informa que instaurou processo de fiscalização para apurar irregularidades.

A compra da carteira da Avimed pela Itálica já foi negada duas vezes pela ANS, mas houve recurso e a Itálica ainda tenta provar que tem condições financeiras de assumir o convênio quebrado.

Falta de informação

Para tentar garantir o atendimento dos conveniados, a Avimed contratou a rede de atendimento da Itálica Saúde. A ANS informou que está acompanhando essa parceria, pois a medida tem caráter emergencial, mas ressalta que a responsabilidade pelo atendimento é da Avimed.

Enquanto isso, os clientes sentem-se perdidos. A aposentada Helena Portapila Garcia já recebeu a carteirinha da Itálica Saúde, acompanhada de uma carta.

“A correspondência diz que a transferência do plano foi realizada sem carência e que eu já posso ser atendida imediatamente na rede credenciada. O valor da mensalidade continua o mesmo”, diz Helena.

Além da carteirinha, o securitário Carlos Seabra Júnior recebeu também um boleto de pagamento da Itálica. “Chegaram duas faturas. Uma da Avimed e outra da Itálica. Pediram para eu desconsiderar a da Avimed e pagar somente a da Itálica, mas achei estranho e paguei a da Avimed”, conta ele.

Mesmo com a parceria entre os dois convênios, clientes da Avimed não conseguem atendimento. O comerciante José Barbosa de Oliveira luta para fazer uma cirurgia no pé desde outubro do ano passado.

“Não estou entendendo nada. Antes, eles negavam a falência, mas a Itálica mandou e-mail dizendo que comprou a carteira da Avimed e pediu para aguardar, pois iriam enviar o livro da rede credenciada e carteirinhas”, diz.

Em nota, Avimed informou que “continua ativa, atendendo os associados via rede própria e via acordo operacional com a Itálica Saúde, que agrega sua rede de atendimento aos associados da Avimed.”

A reportagem tentou contato com a Itálica Saúde, mas ninguém atendeu os telefones informados no site da empresa.

A advogada Daniela Trettel, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), ressalta que a contratação da Itálica pela Avimed para atender os consumidores não tem respaldo legal.

“A rede credenciada tem de ser mantida e a empresa só pode mudar de hospitais e clínicas se avisar os clientes com, no mínimo, 15 dias de antecedência, o que não está acontecendo”, afirma ela.

Selma do Amaral, assistente de direção do Procon-SP, ressalta que, independentemente dos problemas da empresa, o cliente não pode ficar sem convênio.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.