Atrasos nas entregas continuam

Segundo o Procon, a grande maioria dos consumidores reclama de atraso ou não entrega do produto ou serviço, sendo que alguns casos também relatam a não fixação de data e turno. Maior consciência dos clientes é uma das explicações para o aumento das queixas

Marcelo Moreira

20 Julho 2010 | 10h34

Segundo o Procon, a grande maioria dos consumidores reclama de atraso ou não entrega do produto ou serviço, sendo que alguns casos também relatam a não fixação de data e turno.

Para a entidade, o aumento no número de queixas pode ser explicado pela “maior conscientização do consumidor em relação aos seus direitos”. Em nota, o órgão faz um balanço positivo da lei em seus nove meses de vigência.

Para forçar as empresas a cumprir a determinação, o órgão também tem realizado operações de fiscalização. Em novembro de 2009 foram vistoriados 71 estabelecimentos (55 lojas físicas e 16 lojas virtuais) e flagrados 46 desrespeitando a regra (65% do total). Já em fevereiro deste ano, foram vistoriados 164 estabelecimentos (155 lojas físicas e 9 virtuais) e autuados 47 por descumprir a lei (28,6%).

Em dezembro do ano passado, o corretor Renê Donatelli, 27 anos, e sua mulher, Patricia Rodrigues Pedreira, compraram um notebook. A entrega, porém, foi feita com sete dias de atraso. Além disso, o produto chegou incompleto e, até hoje, sete meses depois, ele não recebeu o que falta.

“Desde janeiro entro em contato com as centrais de atendimento e dizem que meu caso está com o setor de ‘gerenciamento’. Porém, nunca me dão retorno. Na semana passada, fui ao Procon e registrei queixa. Mesmo assim, a empresa não deu resposta alguma”, diz Donatelli.

Thiago mostra a TV LED que deveria ter chegado, com a atual ao fundo (FOTO: MARCIO FERNANDES/AE) Thiago mostra a TV LED que deveria ter chegado, com a atual ao fundo (FOTO: MARCIO FERNANDES/AE)

Para assistir à Copa do Mundo de futebol da África do Sul, o superintendente de marketing promocional Thiago Fernandes Prado, de 25 anos, pagou R$ 4 mil em uma TV LED de 42 polegadas numa loja virtual. Só que a Copa já acabou e o televisor não chegou. E não há prazo para chegar.

“Fiquei ansioso, pois iria ver os jogos em uma ótima TV. No dia 12 de maio recebi um e-mail dizendo que não havia prazo para a entrega, pois não havia produto em estoque”, disse Prado. “Assim, no dia 16 de maio, pedi o cancelamento e a solução foi assistir aos jogos na TV de 20 polegadas que tenho. Farei um boletim de ocorrência e vou acionar o Procon. Demoraram um mês para devolver o dinheiro.”