Aprovada a banda larga de internet por rede elétrica

Marcelo Moreira

25 de agosto de 2009 | 22h21

ISABEL SOBRAL – AGÊNDA ESTADO

Caiu o último obstáculo para a implantação da banda larga de internet por meio da rede elétrica no País. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou as regras a que estarão sujeitas as distribuidoras de energia para oferecer o serviço.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) já havia regulamentado a sua parte nessa tecnologia, conhecida como Power Line Communications (PLC).

Uma boa notícia é que as regras da Aneel determinam que 90% do lucro obtido pelas distribuidoras com a exploração da tecnologia PLC terão que ser repassados aos consumidores de energia elétrica.

Esse repasse será feito por meio de desconto nas tarifas cobradas pelo fornecimento de luz, o que deverá ocorrer no momento das revisões contratuais das distribuidoras que, em média, ocorrem a cada quatro anos.

Na prática, a tecnologia permitirá o uso dos fios de energia elétrica para transmissão dos dados multimídia.Algumas adaptações serão necessárias como a instalação de roteadores nos postes de energia para direcionar a transmissão de dados e a instalação de modems na casa ou no escritório dos clientes, parecidos com os aparelhos que as empresas de telefonia ou de TV a cabo hoje usam para fornecer acesso à internet.

Não há data para que a nova tecnologia esteja disponível no porque depende de cada distribuidora decidir pelo seu uso. As empresas de energia estão impedidas de explorar diretamente o novo serviço de banda larga.

Tendências: