Apagão atinge celulares da Vivo em SP

A dificuldade para completar as ligações começou por volta das 8 horas e se estendeu até o início da tarde de ontem. Segundo a operadora, problema foi causado por falha num dos equipamentos responsáveis por fazer o direcionamento das chamadas

Marcelo Moreira

14 Julho 2010 | 12h05

Naiana Oscar

Depois da Claro na semana passada, ontem foi a vez de a Vivo deixar os clientes sem serviço de telefonia móvel na cidade de São Paulo. Ontem pela manhã, a operadora detectou uma falha num dos dois equipamentos da região responsáveis por fazer o direcionamento das chamadas. A dificuldade para completar as ligações começou por volta das 8 horas e se estendeu até o início da tarde.

Segundo a operadora, as chamadas foram imediatamente redirecionadas para um outro equipamento, mas o número de ligações ficou acima do previsto, o que provocou um congestionamento na rede. Como no caso da Claro, os usuários começaram a registrar suas reclamações na rede social Twitter — desta vez com a mensagem “Luto: a Vivo morreu”.

Para o presidente da consultoria Teleco, Eduardo Tude, a pane na Vivo deve ser vista como uma falha pontual. “A operadora é a que mais tem atingido as metas de qualidade da Anatel nos últimos dois anos”, afirma. Ele pondera, no entanto, que o problema parece ter sido grave, já que esses equipamentos são geralmente redundantes.

Levantamento da Teleco, com base nos dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), aponta que, entre janeiro e maio deste ano, a Vivo ficou em segundo lugar no ranking das empresas que mais atendem às exigências da Anatel, com 99,9% de cumprimento das metas de qualidade.