Aneel aprova reajuste para tarifas de energia no Nordeste e Sul

Marcelo Moreira

14 de abril de 2009 | 16h44

GERUSA MARQUES – AGÊNCIA ESTADO

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, 14, um reajuste médio de 10,30% para as tarifas de energia da Energisa Sergipe. O aumento, que entra em vigor no dia 22, será aplicado às contas de luz de 491 mil clientes da distribuidora em 63 municípios sergipanos.

O reajuste para quem recebe energia em baixa tensão como residências e comércio será de 9,39% e para as indústrias o aumento médio será de 11,78%. Para conceder o aumento, a Aneel levou em conta a variação de 6,27% do IGPM nos últimos 12 meses.

Segundo a Agência, pesou também para o reajuste a compra de energia produzida pelas usinas térmicas, que é mais cara que a energia das hidrelétricas.

Também foi autorizado os reajustes para mais três distribuidoras de energia do Nordeste, que entrarão em vigor na quarta-feira da próxima semana, dia 22. As tarifas da Cosern, do Rio Grande do Norte, terão reajuste médio de 7,36%.

A distribuidora atende 917 mil unidades de consumo de 167 municípios do Estado. Para os consumidores de baixa tensão, como residências e comércio, o reajuste será de 6,01%. Para as indústrias, o aumento médio será de 9,63%.

Já as tarifas da Coelba, distribuidora da Bahia, terão aumento de 6,03%. Para as residências e o comércio o aumento será de 5,58% e para a indústria, o reajuste médio será de 6,82%. A Coelba atende a 4 milhões de clientes em 374 municípios baianos.

No Ceará, o reajuste médio é de 11,25% para as tarifas da Coelce. O aumento, que entra em vigor no próximo dia 22, será de 10,89% para as residências e o comércio e de 12,11%, em média, para a indústria. A Coelce fornece energia para cerca de 2,5 milhões de clientes em 184 municípios cearenses.

Sul

A Aneel aprovou ainda o reajuste das tarifas de energia de duas distribuidoras do Rio Grande do Sul. O aumento entra em vigor em 19 de abril, domingo.

As tarifas da AES Sul terão aumento médio de 14,50%, sendo que para os clientes que recebem energia em baixa tensão – como as residências e comércio – o reajuste será de 13,84% e para a alta tensão, de 14,72%, em média. A AES Sul fornece energia para 1,094 milhão de clientes em 118 municípios do Rio Grande do Sul.

Já as tarifas da RGE terão aumento médio de 5,94%. Para os clientes que recebem energia em baixa tensão o reajuste será de 4,55%. Em alta tensão, de 7,58% em média. A RGE atende 1,35 milhão de clientes em 254 municípios gaúchos.

A Aneel explicou que o maior peso para o reajuste deve-se ao aumento do custo da energia de Itaipu, que é cotado em dólar. Segundo a Aneel, em março do ano passado o dólar estava cotado a R$ 1,74.

Em março deste ano a cotação passou a R$ 2,31. Para conceder o reajuste, a Aneel considerou uma variação de 6,27% do IGPM nos últimos doze meses.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.