Ainda o Speedy dando dor de cabeça aos consumidores

Marcelo Moreira

12 de abril de 2009 | 17h16

Os problemas de alguns consumidores com a telefonia brasileira são de tirar do sério. A pane do Speedy, serviço de banda larga da Telefônica em São Paulo, na semana passada continua rendendo reclamações. Veja o que tem a dizer o leitor do Jornal da Tarde Larissa Luz, de Santos (SP):

“É lamentável a atenção que os atendentes da Telefônica nos dedicam. Recebo ligações diárias de cobranças referentes a parcelas que já estão quitadas. Além disso, estou há oito dias sem o serviço Speedy e já fiz mais de 20 ligações para o serviço de atendimento ao consumidor.

Até agora o problema não foi solucionado. A empresa já se comprometeu a enviar um técnico a minha casa, mas ainda não recebi a visita.

O mais revoltante é que se eu quiser um desconto pelos dias sem o serviço, terei de ligar para a empresa e solicitar o débito proporcional. Sinto-me desrespeitada como consumidora.”

RESPOSTA DA TELEFÔNICA: Informamos que o Speedy da cliente voltou a funcionar normalmente após ajustes técnicos. Enviamos a segunda via da conta com o ressarcimento do período em que o serviço apresentou problemas e prorrogamos a data de vencimento. A sra. Larissa encontra-se ciente das providências adotadas e confirmou o funcionamento do Speedy. A operadora lamenta e pede desculpas pelos transtornos causados.

COMENTÁRIO DO ADVOGADO DE DEFESA: A falta do serviço de internet banda larga causa enormes transtornos à vida pessoal e profissional do consumidor. Somados o mau atendimento reiterado e a longa espera para que o problema seja resolvido, o consumidor tem o direito de ser indenizado por dano moral – mesmo a pós regularização do serviço. Isso porque todo o calvário citado ultrapassa os meros e perdoáveis aborrecimentos no dia a dia do consumidor. E o caminho para reivindicar o ressarcimento é o Juizado Especial Cível.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.