Ainda dá para retificar a declaração do Imposto de Renda

Marcelo Moreira

11 de outubro de 2008 | 00h12

SAULO LUZ – JORNAL DA TARDE

Quem desconfia de que tenha caído ou que possa cair na “malha fina” do Imposto de Renda ainda pode mandar uma declaração retificadora até dezembro. Restando somente dois lotes de restituições a serem pagos pela Receita Federal – o sexto, no dia 17 de novembro, o sétimo e último, no dia 15 de dezembro. Caso tenha cometido algum erro na declaração, a retificação substitui o documento que foi entregue.

Antes de fazer uma nova declaração, a pessoa precisa ter certeza se foi pego na malha fina. Para isso, basta acessar o site da Receita Federal (www.receita.fazenda.gov.br).

No campo “onde encontro”, no alto da tela, escolha a opção “Extrato da DIRPF”. Ao aparecer a tela do Extrato Simplificado do Processamento, preencha os espaços com os números do CPF, do recibo da primeira declaração e digite as letras de controle que aparecem na tela.

Se o problema apontado (por exemplo, uma divergência em despesas médicas) for reconhecido pelo contribuinte, ele deve enviar uma declaração retificadora.

A retificadora deve ser preenchida no mesmo modelo em que o contribuinte fez a primeira declaração. “Ele pode também pega o mesmo disquete que fez a última declaração e corrigir ou acrescentar pontos de rendimento que havia esquecido. Depois é só reenviar a declaração pela internet”, diz Luiz Monteiro, auditor da Receita Federal.

Se o contribuinte perceber que não havia cometido nenhum erro, não deve mandar a retificação. “Só deve retificar a pessoa que realmente constatar um erro”, diz.

Embora o prazo para enviar a retificadora seja de cinco anos, quanto mais o contribuinte demorar para entregar a retificadora, mais tempo ele vai levar para receber a restituição.

O lote deste mês vai ser pago no próxima dia 15. Para realizar a transferência, basta ligar para o banco do Brasil e pedir a transferência do dinheiro para qualquer banco em que tenha conta corrente ou poupança. Há a opção de ligação gratuita para o “BB responde” no número 4004-0001 nas capitais ou 0800-729-0001 em outras cidades.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.