Adidas ignora consumidor

Marcelo Moreira

29 de junho de 2009 | 19h49

Empresas importantes estão ignorando as cartas de reclamações de leitores. Simplesmente não respeitam os prazos estipulados pleo JT e pelo blog Advogado de Defesa para enviar as respostas. Isso mostra o grau zero de compromisso com os consumidores. É o caso da Adidas, na reclamação de Mário maia, de São Paulo:

“O calçado da marca Adidas que adquiri apresentou um defeito no terceiro mês de uso. A empresa recolheu o produto para que fosse analisado e, após alguns dias, recebi a confirmação de que o defeito havia sido originado na fabricação.

O atendente que me contatou afirmou ainda que, caso a empresa não possuísse um produto idêntico em estoque, eu receberia um semelhante e de mesmo valor.

Recebi outro calçado, mas não era da cor branca, como o que eu havia comprado e sim, preta. Além disso, o modelo era completamente diferente. Dessa forma, entrei em contato com a Adidas comunicando que o modelo do calçado não havia me agradado e fui informado que eu receberia outro produto em 15 dias.

Encaminhei, juntamente com o calçado, a foto e o nome do modelo de um tênis de meu agrado. Após o prazo determinado pelo fabricante, como não havia recebido nenhum contato.

Liguei para a empresa para saber o motivo de não ter recebido o produto e me pediram para aguardar mais alguns dias para que a Adidas efetuasse a troca. Até agora não recebi nem o tênis nem uma ligação da empresa

COMENTÁRIO DA REDAÇÃO: A empresa foi contatada, mas não respondeu à coluna.

COMENTÁRIO DO ADVOGADO DE DEFESA: É lamentável que a Adidas trate o consumidor com indiferença até mesmo diante da reclamação que lhe fora enviada para resposta pelo JT além do longo jogo de empurra a que o consumidor fora submetido no contato com a empresa anteriormente. Trata-se de um caso típico de falta de consideração com o consumidor, inaceitável na relação de consumo estabelecida com uma empresa de prestígio. Abandonado, resta ao consumidor se dirigir ao Juizado Especial Cível mais próximo de sua casa e exigir além da troca do produto, dano moral, por toda a tortura e descaso do atendimento recebido. Também pode exigir o reembolso do gasto com telefonemas à empresa na tentativa de resolver uma simples reclamação referente a um direito consistente na troca do produto por outro, segundo concordância prévia da própria empresa, como descreve a reclamação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.