Ação do Ipem analisa material escolar

Marcelo Moreira

15 de janeiro de 2009 | 11h56

SAULO LUZ – JORNAL DA TARDE

O Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP) analisou os materiais escolares vendidos no Estado e encontrou irregularidades em 6,25% dos produtos fiscalizados.

No total, o órgão verificou 48 lotes de produtos de uso escolar na operação ‘Volta às aulas’, realizada no dia 12 de janeiro em seis laboratórios do Ipem no Estado.

A ação analisou diversos produtos presentes nas listas de material escolar, como corretivo, purpurina, glitter, barbante, clips, folha para fichário, papel canson, papel vegetal, cadernos, papel sulfite, papel crepom, cartolina e tintas (guache, nanquim e acrílica).

Na Capital, o Ipem verificou apenas cadernos (13 lotes de todos os tipos), e a maior irregularidade foi encontrada em um lote de cadernos brochura. As amostras do produto estavam em média um milímetro (0,70%) de largura abaixo do indicado pelo fabricante.

“Parece algo insignificante, mas todos os cadernos daquele lote estavam com problemas. E imagine que cada lote pode ter milhares de produtos”, explica Vera Lúcia Gonçalves, supervisora técnica do setor do pré-medidos do Ipem-SP.

No interior, a maior irregularidade foi encontrada na cidade de Presidente Prudente. Quatorze amostras dos corretivos em fita de quatro metros estavam, em média, 30 centímetros (7,5%) abaixo do declarado na embalagem.

Além disso, faltavam 40 centímetros na embalagem individual de um corretivo de 5 metros. Nos exames realizados nos laboratórios de Campinas, Ribeirão Preto, São José dos Campos e São José do Rio Preto não foram encontradas irregularidades.

O número de irregularidades na operação caiu substancialmente em relação à operação do ano passado, quando o índice de irregularidades foi de 23,53%. “Houve um decréscimo em relação ao ano passado. Mas o índice ainda é alto e está bem longe do ideal”, diz Vera Lúcia.

As empresas foram autuadas e notificadas a retirar imediatamente os produtos dos pontos de venda. Há um prazo de dez dias para apresentação de defesa junto à superintendência do instituto. Depois disso, podem receber multas e penalidades de até R$ 50 mil, dobrando no caso de reincidência.

Em caso de dúvidas, reclamações e denúncias, o consumidor pode ligar para a ouvidoria do Ipem (0800-0130522) de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 17h. E-mail: ouvidor-ipem@ipem.sp.gov.br.

Para mais informações sobre a operação ‘Volta às aulas’ visite a página do Ipem na internet: www.ipem.sp.gov.br.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.