Política

Política

Marina Silva é entrevistada em sabatina Estadão-Faap

Candidata à Presidência pela Rede nas eleições 2018 será a terceira sabatinada pela série do 'Estado' em parceria com a Fundação Armando Alvares Penteado

A série de encontros Estadão-Faap Sabatinas com os Presidenciáveis recebe nesta terça-feira, 28, a candidata Marina Silva, da Rede, nas eleições 2018. A entrevista ocorre na sede da fundação, em São Paulo. 

 

O evento tem um painel único de duas horas de duração no qual a candidata responde a questionamentos dos entrevistadores e da plateia. 

 

Marina é entrevistada por dois jornalistas do Estado e um professor da Faap.

 

Os encontros são gratuitos, restritos a convidados do Estado e da Faap. Todos os eventos terão transmissão ao vivo pelo portal Estadão, pelos canais do jornal no Facebook e no Twitter e pelo site da TV Faap.

 

 

 

27/08/2018, 22h43

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 16h06

    28/08/2018

    Agradecemos a audiência e até a próxima semana! 

  • 16h03

    28/08/2018

    A série de sabatinas continua na próxima semana. Na terça-feira, 4 de setembro, o entrevistado é o candidato Ciro Gomes, do PDT. 

  • 16h02

    28/08/2018

    A jornalista Eliane Cantanhêde encerra, neste momento, a sabatina com a presidenciável Marina Silva, da Rede

  • 16h02

    28/08/2018

    "Tem gente que vai em três Estados por dia. Mas com meio bilhão é fácil", comenta. 

  • 16h01

    28/08/2018

    Marina diz que tem que enfrentar tudo isso exercitando o hábito de oferecer a outra face. "Não é verdade que esteja sumida. Estou muito presente, dei mais de 200 palestras e falei diretamente com quase 200 pessoas olhando no olho". 

  • 16h00

    28/08/2018

    Marina Silva: "Fui trabalhar como professora, porque tenho que me sustentar. Faço palestras. As poucas remuneradas não têm tabela, as pessoas pagam o que acham que vale. São mais desconstruções, inventaram até que eu era do lado dos banqueiros".

  • 15h59

    28/08/2018

    Marina Silva: "Fiz dois programas do meu partido defendendo a Lava Jato e isso não é se pronunciar? Eu estou me pronunciando e não estou 'sumida', porque ajudei a criar um partido sem estrutura, sem dinheiro, participei de um processo eleitoral em 2016 viajando em centenas de lugares com pouquíssimos recursos". 

  • 15h58

    28/08/2018

    Marina diz que partidos como o PSDB foram se alojar no governo. "Fiquei sozinha defendendo que o melhor era cassar a chapa Dilma-Temer. Mas isso não tem a audiência daqueles que faziam coro de que não deveria cassar".

     

    "Eu era contra o foro privilegiado. Eles são a favor, mas dizem que eu não me pronuncio". 

  • 15h56

    28/08/2018

    A jornalista Vera Magalhães diz que pesquisas mostram a extrema-esquerda com Lula e a extrema-direita com Bolsonaro.

     

    Como passar pela fresta para se contrapor nessa polarização extrema? Acha que tem perfil para esse momento do Brasil? 

  • 15h53

    28/08/2018

    Sobre a Venezuela, a candidata da Rede diz que o Brasil cometeu erros enormes. "Perdeu a oportunidade de liderar força com vários países para poder dar ajuda humanitária e mediar uma saída para a Venezuela". 

  • 15h52

    28/08/2018

    Sobre Donald Trump, Marina Silva diz que os EUA têm um papel importante no equilíbrio das forças "em nome de uma política protecionista primitiva em que todos perdem". 

     

    "Quem tem a posição que os EUA têm não pode renunciar o papel de ajudar a liderar processos multilaterais de saída para todos. Isso é péssimo para todos. A disputa China x Estados Unidos é uma disputa perde-perde". 

  • 15h51

    28/08/2018

    Marina Silva afirma que vai recuperar o protagonismo do Brasil na agenda de defesa da sustentabilidade, dos direitos humanos e da democracia. "Em todos os aspectos".

  • 15h50

    28/08/2018

    Marina Silva diz que conseguiu, na agenda de biodiversidade, de florestas, do clima, em várias agendas, ter um papel relevante. "Não por acaso, o Brasil foi o primeiro País emergente a assumir metas voluntárias de redução de CO2. Deveríamos estar ombro a ombro com a União Europeia. O Brasil pode e deve ter esse lugar na agenda nos objetivos do desenvolvimento sustentável. Tivemos retrocessos inaceitáveis". 

  • 15h49

    28/08/2018

    Marina Silva: "Perdemos protagonismo e liderança porque em alguns casos relativizamos princípios e valores. O que acontece na Venezuela, não cumprimos com nosso papel porque em funções de alinhamentos ideológicos e políticos, deixamos de cumprir o papel de articular para evitar que a Venezuela não fosse mais uma democracia". 

  • 15h48

    28/08/2018

    Marina Silva: "Em termos de política externa, é melhor quando temos um lugar no mundo. E o que define isso são nossos princípios e valores. Nesse sentido, o Brasil vive há mais de 100 anos em paz com suas fronteiras. Temos uma cultura de paz, defendemos a democracia, direitos humanos e, há muito tempo, a gente vem lutando para colocar o Brasil no lugar daqueles que defendem a preservação do planeta". 

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.