Política

Política

Entrevista com Ciro Gomes: candidato fala de propostas e responde a questionamentos

Presidenciável pelo PDT nas eleições 2018, Ciro Gomes será sabatinado pela série do 'Estado' em parceria com a Fundação Armando Alvares Penteado

A série de encontros Estadão-Faap Sabatinas com os Presidenciáveis recebe nesta terça-feira, 4, o candidato Ciro Gomes, do PDT, nas eleições 2018. A entrevista ocorre na sede da fundação, em São Paulo, às 10h. 

 

O evento tem um painel único de duas horas de duração no qual o candidato responde a questionamentos dos entrevistadores e da plateia. 

 

Os encontros são gratuitos, restritos a convidados do Estado e da Faap. Todos eles terão transmissão ao vivo pelo portal Estadão, pelos canais do jornal no Facebook e no Twitter e pelo site da TV Faap.

 

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 12h03

    04/09/2018

    O evento é encerrado acaba neste momento.

     

    (Foto: Gabriela Biló / Estadão)

    ciro gomes

  • 12h02

    04/09/2018

    Ciro Gomes defende a necessidade de uma reforma fiscal e uma reforma política

     

    (Foto: Felipe Rau / Estadão) 

    ciro gomes

  • 12h01

    04/09/2018

    Jornalista questiona: "Como o senhor com esse temperamento beligerante vai negociar com o Congresso para implementar" esses projetos?

     

    "Nós não temos direito de passar com paletozinho limpo. Ou quer o "picolé de chuchu" ou o comportamento beligerante. Fico feliz que a essa altura da vida é só isso que tem para dizer de mim. Vocês acham mesmo que sou beligerante? Eu sou da luta. Alguém acha que vai enfrentar essa banqueirada egoísta alisando? Não vai mesmo. Tem que ser com muita força, agora eu respeito a lei, sou democrata, tanto que passei o tempo inteiro correndo risco de ser mal interpretado defendendo os valores de uma sociedade civilizada", responde Ciro Gomes.

  • 11h59

    04/09/2018

    "A Lei da Ficha Limpa é uma reação bem-intencionada, vendo um problema trágico da sociedade brasileira que procura um by-pass, um fast track, para não enfrentar o problema. Só o Brasil dá quatro graus de jurisdição. Em todo lugar do mundo, em duas instâncias, acabou. E aí a gente acaba com a impunidade como prêmio. Nenhum tucano vai para a cadeia. O único é o Eduardo Azeredo. Quem é da máfia mesmo, como Serra, Aloysio Nunes, Aécio Neves, está aí. Nenhuma comissão de ética para o Aécio dentro do partido?", questiona Ciro Gomes

     

    "O Brasil tem que acabar com quatro graus de jurisdição. Se pego uma pessoa com dois graus e já tiro dele de forma irreparável as franquias do cidadão, quem vai reparar isso depois se ele for absolvido?" O candidato defende, então, dois graus de jurisdição. 

     

    (Foto: Felipe Rau / Estadão) 

    ciro gomes

  • 11h55

    04/09/2018

    "Corrupção é muito grave, mas o tema mais candente é precisar da saúde pública, depois segurança pública e em terceiro, desemprego. O quarto é a corrupção. A corrupção é grave porque é um câncer na confiança da sociedade no sistema democrático e em sua representação. Esse é o grande mal que a corrupção faz. Esse discurso moralista que relativiza a corrupção não vai resolver o problema. Quando um País permite que 63 milhões tenham seu nome negativado porque contraíram dívida de R$ 400 que vira R$ 5 mil, isso é corrupção. Aquele superfaturamento vulgar é corrupção grave, receber dinheiro do Rodoanel, da merenda, é grave. Como combater? Com exemplos. Se o de cima não rouba, a coisa muda para baixo", afirma Ciro Gomes

  • 11h54

    04/09/2018

    Ciro Gomes é questionado sobre corrupção.

     

    "Tem gente que deixou de ler jornal, de assistir televisão, que nem discute mais política. O senhor gostaria que pudesse ter uma definição de como vai agir, se eleito, nesta questão"?

  • 11h53

    04/09/2018

    VídeoCiro Gomes diverge de representante do setor agropecuário sobre subsídios a produtores.

  • 11h53

    04/09/2018

  • 11h52

    04/09/2018

    Sobre Carlos Lupi, presidente do PDT, Ciro Gomes diz que "bota a mão no fogo" pelo dirigente. 

     

    "Eu nunca pensei que o estagiário do Jornal Nacional fosse tão mal supervisionado. Eu conheço o Carlos Lupi há 20 anos, é um homem decente, nunca foi réu de nada, nunca foi processado. A ação está parada desde 2015. Quando responde por ação civil pública, ele é requerido, consta como réu na movimentação processual. Lupi não responde por nenhuma irregularidade e essa é uma ação civil pública que quer apurar se houve falta de ética na entrada de um ministro de Estado em um avião particular", diz o candidato.

  • 11h49

    04/09/2018

    "Pela primeira vez, desde a 2.ª Guerra, estamos com estacionamento estrangeiro das potências na nossa fronteira e o Brasil ficando com o pepino de mais de 70 mil refugiados que perderam tudo no regime de Maduro", afirma Ciro Gomes.

     

    (Foto: Gabriela Biló / Estadão) 

    ciro gomes

  • 11h49

    04/09/2018

    Sobre a questão da Venezuela, Ciro Gomes diz que o regime de Nicolás Maduro foi se degradando e a diplomacia da cúpula do PT foi "alisando a cabeça" do governante chavista por uma solidariedade. 

     

    "Entra o PSDB com o Temer e faz o oposto: isola a Venezuela. A posição correta é que deveríamos buscar. É natural a liderança do Brasil sob o ponto de vista da vizinhança, das identidades culturais e econômicas. A tucanada escondeu que há cinco anos o Brasil tinha superávit de R$ 5 bi. Eles são dependentes do Brasil. Jogamos toda essa história na lata do lixo e o que aconteceu? Hoje, a Venezuela isolada está cheia de assessores militares e de inteligência da China e da Rússia. Na nossa fronteira. Enquanto isso, os americanos estão convidando a Colômbia, outro vizinho nosso, para se filiar à Otan."

  • 11h46

    04/09/2018

    "O Brasil tem que recuperar o ideário do Barão do Rio Branco: quais os princípios? Não intervenção em assuntos domésticos, multilateralismo, autodeterminação dos povos. O Brasil deve guiar sua relação com os Estados Unidos, com os vizinhos também, com os europeus, e com essa complexa questão dos Brics, especialmente essa tensão com a China. Exige do Brasil muita consciência coletiva para não ser uma ex-nação daqui meio século", responde Ciro Gomes.

     

    (Foto: Felipe Rau / Estadão) 

    ciro gomes

  • 11h45

    04/09/2018

    Eliane Cantanhêde questiona Ciro Gomes sobre as propostas para a diplomacia.

     

    "O Brasil não se comporta como líder, não assume sua posição. Qual sua política externa?"

  • 11h44

    04/09/2018

    Ciro Gomes subiu o tom das críticas aos adversários em uma visita recente à capital paulista. O pedetista criticou o tucano Geraldo Alckmin, o emedebista Henrique Meirelles e presidenciável do Novo, João Amoêdo.

     

    O MDB foi quem tomou a maior parte dos ataques. Questionado se aceitaria um eventual apoio da sigla do presidente Michel Temer caso seja eleito, Ciro revidou: “Nem a pau, Juvenal. Meu governo vai botar pra correr ladrão e bandido. Botar pra correr até a porta da cadeia". Leia mais aqui.

  • 11h43

    04/09/2018

    Ciro Gomes diz que é preciso uma guarda nacional tecnologicamente sofisticada com satélites, georreferenciamento, sensores e drones para resolver os problemas remotamente. "Isso proponho para as fronteiras. O Exército brasileiro nas fronteiras está trabalhando a meio expediente. Felizmente ninguém quer invadir o Brasil."

Estadão Blue Studio Express

Conteúdo criado em parceria com pequenas e médias empresas. Saiba mais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.