Política

Política

Eleições 2020: veja o resultado do primeiro turno

Estadão acompanhou ao vivo a reta final, o dia de votação e a apuração dos resultados nas eleições municipais para prefeito e vereador em todo o Brasil

O primeiro turno das eleições 2020 chegou ao fim com a definição do nome dos pouco mais de 58 mil vereadores e de quase 5,5 mil prefeitos que tomarão posse no ano que vem.

 

Acompanhe a cobertura do segundo turno das eleições 2020 no Estadão  

 

Em uma eleição realizada durante a pandemia do novo coronavírus, a abstenção atingiu o maior patamar desde, pelo menos, 2008. Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a abstenção foi de 23,14% no País. Em alguns colégios eleitorais, porém, o índice passou de 30%.

 

Em São Paulo, o segundo turno ficou entre o candidato à reeleição Bruno Covas (PSDB) e o ex-candidato à presidência em 2018 Guilherme Boulos (PSOL). Veja como votou cada bairro da capital paulista.

 

No Rio, Eduardo Paes (DEM) e Marcelo Crivella (Republicanos) garantiram vaga no segundo turno da disputa, com o ex-prefeito acabando na frente do mandatário atual.

 

O pleito também pode ser considerado uma vitória para o Centrão, que teve grande desempenho eleitoral por todo o País.

 

Os grandes derrotados foram o bolsonarismo - com a maioria das candidaturas ligadas ao presidente não prosperando -, o PT - que perdeu em seu reduto eleitoral no ABC paulista - e o PSL - que viu uma desidratação do partido, em comparação com 2020.

 

Capitais que terão 2º turno:

- São Paulo: entre Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL)

Rio de Janeiro: entre Eduardo Paes (DEM) e Marcelo Crivella (Republicanos)

- Belém: entre Edmilson Rodrigues (PSOL) e Delegado Federal Eguchi (Patriota)

- Aracaju: entre Edvaldo (PDT) e Delegada Danielle (Cidadania)

- São Luís: entre Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Junior (Republicanos)

- Goiânia: entre Maguito Vilela (MDB) e Vanderlan Cardoso (PSD)

- Manaus: entre Amazonino Mendes (Podemos) e David Almeida (Avante)

- Teresina: entre Dr. Pessoa (MDB) e Kleber Montezuma (PSDB)

- Fortaleza: entre Sarto (PDT) e Capitão Wagner (PROS)

- Vitória: entre Delegado Pazolini (Republicanos) e João Coser (PT)

- João Pessoa: entre Cicero Lucena (PP) e Nilvan Ferreira (MDB)

- Cuiabá: entre Abílio Júnior (Podemos) e Emanuel Pinheiro (MDB)

- Boa Vista: entre Arthur Henrique (MDB) e Ottaci Nascimento (Solidariedade)

- João Pessoa: entre Cícero Lucena (Progressistas) e Nilvan Ferreira (MDB)

- Recife: entre João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT)

 

Eleitos no primeiro turno em capitais:

- Belo Horizonte: Alexandre Kalil (PSD)

Curitiba: Rafael Greca (DEM)

Florianópolis: Gean Loureiro (DEM)

Palmas: Cinthia Ribeiro (PSDB)

Salvador: Bruno Reis (DEM)

Campo Grande: Marquinhos Trad (PSD)

Natal: Álvaro Dias (PSDB)

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 10h28

    29/11/2020

    Acompanhe, em tempo real, a cobertura da votação e da apuração do 2º turno das eleições 2020 neste link (acesse aqui).

  • 07h10

    16/11/2020

    Encerramos aqui a nossa transmissão ao vivo do primeiro turno das eleições 2020.

     

    Agradecemos a sua audiência durante a reta final, o dia de votação e a apuração dos votos.

     

    Para seguir informado sobre as principais notícias da política nacional e o segundo turno das eleições municipais, continue acompanhando a nossa página especial de eleições.

  • 06h21

    16/11/2020

    COLUNISTAS ANALISAM PRIMEIRO TURNO DAS ELEIÇÕES

    Com a apuração finalizada na maior parte do Brasil, o primeiro turno das eleições 2020 definiu os vereadores e boa parte dos prefeitos que ocuparão os governos municipais.

     

    Em um pleito marcado por vitórias do Centrão, derrotas do PT em seu reduto eleitoral na Grande São Paulo e dos candidatos do bolsonarismo pelo Brasil, colunistas do Estadão analisam o contexto e o que sinaliza a eleição de 2020. Leia:

     

     

     

  • 06h13

    16/11/2020

    Centrão avança em grandes cidades e aumenta seu cacife

     

    Aliado do presidente Jair Bolsonaro, o Centrão teve um bom desempenho nas urnas no domingo. Líderes do grupo que dá as cartas no Congresso conseguiram eleger afilhados e avançar para o segundo turno em cidades importantes no País.

     

    As dez legendas do bloco (Progressistas, PSD, PL, PTB, Republicanos, PSC, Solidariedade, Avante, Patriota e Pros) fizeram ao menos 887 prefeituras, de acordo com os resultados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até a 1h desta segunda-feira, 16.

     

    O desempenho do grupo contrasta com a atuação do PSL, que até o ano passado era o partido de Bolsonaro. O PSL minguou. O Centrão raiz, porém, deve aumentar seu capital político nas negociações do Congresso nos próximos dois anos

  • 05h56

    16/11/2020

    Covas e Boulos no segundo turno: veja como cada bairro votou

     

    O atual prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), e o candidato do PSOL, Guilherme Boulos, garantiram presença no 2º turno do maior colégio eleitoral do País.

     

    Candidato à reeleição, Covas conquistou 32,86% dos votos válidos, contra 20,24% de Boulos, ficando com a 1ª colocação.

     

    O candidato tucano conquistou a liderança em todas as zonas eleitorais da capital paulista. Nem mesmo em 2016, quando ocupou a posição de vice-prefeito na chapa com João Doria, o PSDB saiu tão vitorioso.

     

    Na época, a chapa conquistou a prefeitura em primeiro turno com 53,29% dos votos válidos, entretanto, Marta Suplicy (MDB) liderou nas zonas eleitorais de Grajaú e Parelheiros.

     

    Veja o mapa da cidade e o porcentual de cada candidato por bairro.

    Estadão

  • 04h04

    16/11/2020

    Eleição no meio da pandemia tem abstenção de 23,1%, maior dos últimos anos

     

    Em uma eleição realizada durante a pandemia do novo coronavírus, a abstenção atingiu o maior patamar desde, pelo menos, 2008. Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a abstenção neste domingo foi de 23,14% no País. Em alguns colégios eleitorais, porém, o índice passou de 30%. 

     

    Nos últimos 12 anos, a abstenção mais alta havia sido registrada na eleição presidencial de 2018, 20,33%. Comparando-se o primeiro turno das eleições municipais, em 2016 a abstenção foi de 17,58%, em 2012 foi de 16,41% e em 2008 foi 13%. Analistas políticos já apontava a possibilidade de que a abstenção neste ano fosse recorde. Leia mais aqui.

     

    Foto: TIAGO QUEIROZ / ESTADÃO

    TIAGO QUEIROZ / ESTADÃO

  • 02h24

    16/11/2020

    São José do Rio Preto e Jundiaí decidem eleição no 1º turno

     

    Depois de atrasos e paralisações que levaram incertezas a cidades-pólo do interior, a retomada da divulgação, na noite deste domingo, dos resultados das eleições pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) clareou a situação ao trazer definições. Em São José do Rio Preto e em Jundiaí, os atuais prefeitos, Edinho Araújo (MDB) e Luiz Fernando Machado (PSDB), respectivamente, foram reeleitos.

     

    Veja como foram as eleições nessas e em outras cidades do interior de São Paulo.

     

    Fotos: Epitácio Pessoa/Estadão

    Fotos: Epitácio Pessoa/Estadão

  • 01h53

    16/11/2020

    Maceió indica 2º turno entre Alfredo Gaspar de Mendonça e João Henrique Caldas

     

    MACEIÓ – O candidato do MDB à prefeitura de Maceió, Alfredo Gaspar de Mendonça, deve disputar o segundo turno das eleições com João Henrique Caldas, o JHC, do PSB. Com 94,50% das urnas apuradas, o candidato do MDB aparece com 29,09% dos votos válidos, ante 28,43% do candidato do PSB. Davino Filho (PP) aparece em terceiro lugar, com 25,17% dos votos válidos.

     

    Embora a apuração não tenha sido finalizada, Alfredo Gaspar comemorou o resultado ao lado do governador de Alagoas, Renan Filho (MDB). Em depoimento rápido, ele disse que continuará com a mesma estratégia de campanha, que considera propositiva. "Entrei na política aos 50 anos de idade, deixando a minha carreira de promotor de Justiça para fazer o bem e fazer bem feito", ressaltou.

     

    Assim como Gaspar, JHC disse que seguirá com campanha propositiva, apresentando ao povo o que considera as melhores soluções para Maceió. "Agradecer a cada maceioense pela confiança e tenho certeza de que juntos vamos vencer, pois mudar Maceió é pra já", enfatizou.

     

    O Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE-AL) contabilizou 361,6 mil votos válidos, o correspondente a 85,98% do total. Votos nulos somam 9,29%, e brancos atingem 4,73%. As abstenções totalizam 25,17%.

    (Por Carlos Nealdo, especial para o Estadão)

  • 01h44

    16/11/2020

    Arthur do Val diz que 'de jeito nenhum' vai apoiar alguém no 2º turno em SP

     

    Em entrevista à rádio Eldorado, Arthur do Val (Patriota) declarou “repúdio” aos candidatos que vão disputar o segundo turno na capital paulista. O deputado estadual conhecido como Mamãe Falei conquistou 9,78% dos votos à prefeitura de São Paulo e disse que não vai declarar apoio “de jeito nenhum” nem a Bruno Covas e nem a Guilherme Boulos, os dois primeiros colocados no pleito.

     

    “Eu não acho que nenhum dos dois seja merecedor de sequer um aceno da minha parte ou de qualquer pessoa que me siga”, disse. Ele classificou Covas como “o pior prefeito da história de São Paulo” e falou que Boulos é um “invasor de propriedade”. “Não acredito que esses dois candidatos sejam legítimos de qualquer liderança”, falou à rádio.

     

    Ele também classificou como “muito boa” a campanha de seus aliados políticos. “Nós vamos iniciar uma campanha forte para 2022”, afirmou. O deputado disse que isso mostra que “está surgindo uma nova liderança política com ideias liberais”. 

     

    Foto: Matheus Lara/Estadão

    Matheus Lara / Estadão

  • 01h42

    16/11/2020

    Alexandre Kalil é reeleito prefeito de Belo Horizonte

     

    BELO HORIZONTE – O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), foi reeleito para mais quatro anos no cargo na capital mineira. Com 99,76% das urnas apuradas, ele tem 63,36% dos votos válidos. Em seguida, ficaram Bruno Engler (PRTB), com 9,9% dos votos válidos, João Vítor Xavier (Cidadania), com 9,2%, e Áurea Carolina (PSOL), com 8,31. Engler era o candidato do presidente Jair Bolsonaro na capital mineira.

     

    O prefeito agradeceu aos eleitores e disse que, com a reeleição, pensará na economia da cidade em meio à pandemia. "Temos medidas para o comércio e estão sendo estudadas. Como fui reeleito, posso começar a fazer isso de agora. Temos de entender que esta é a hora do comércio", disse. Leia mais aqui.

     

    Foto: Comitê de campanha Kalil

    Comitê de campanha Kalil

  • 01h35

    16/11/2020

    Tião Bocalom e Socorro Neri estão no segundo turno em Rio Branco

     

    RIO BRANCO – O próximo prefeito de Rio Branco (AC) será definido em segundo turno, no dia 29. No primeiro turno, Tião Bocalom (Progressistas) conquistou 49,58% dos votos. Já a atual prefeita, Socorro Neri (PSB), que tenta a reeleição, teve 22,68%.

     

    Socorro Neri tenta se eleger prefeita pela primeira vez, já que antes, em 2016, foi eleita como vice do petista Marcus Alexandre. Com dois anos à frente da prefeitura, enfrentou uma campanha difícil devido à alta rejeição e a poucos resultados com marca própria.

     

    “Nós vamos virar esse jogo, sim! Vamos fazer uma campanha de segundo turno ainda mais próxima da população, e estou aberta a novas alianças”, declarou a socialista. Ela recebeu 40.250 votos, ante os 87.987 votos obtidos pelo adversário progressista.

     

    Tião Bocalom, que cresceu nas pesquisas na reta final da campanha e se afastou das agendas devido à infecção por covid-19, avalia que terá à frente uma nova campanha em menor tempo: “Nós vamos continuar a lutar neste segundo turno, pelos próximos 15 dias, e se Deus quiser, seremos vitoriosos mais uma vez”, destacou.

     

    Rio Branco registrou 177.462 votos válidos (95,02%), além de 3.368 votos brancos (1,80%) e outros 5.939 nulos (3,18%). Veja o resultado completo aqui. (João Renato Jácome, especial para o Estadão)

  • 01h27

    16/11/2020

    Segundo turno em Cuiabá terá Abílio e Emanuel Pinheiro

     

    CUIABÁ - A disputa pela Prefeitura de Cuiabá (MT) será decidida no segundo turno entre Abílio (Podemos), que registrou 33,72% dos votos, e o candidato à reeleição Emanuel Pinheiro (MDB), com 30,64%. A diferença entre os dois candidatos foi de 8.264 votos.

     

    Ao todo, foram 268.811 votos válidos na capital e uma taxa de abstenção de 22,01%. Os votos nulos chegaram a 5,48% e os brancos, a 3,35%.

     

    Com o atraso na divulgação dos resultados por um problema técnico informado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os primeiros números só começaram a surgir mais de duas horas depois do fechamento das urnas. O resultado seguiu a previsão da última pesquisa Ibope, que apontava um empate técnico entre Abílio (Podemos) e Emanuel Pinheiro (MDB).

     

    Atual prefeito da capital, Emanuel (MDB) deu início à campanha eleitoral à frente de seus opositores. Porém, nas últimas semanas, veio perdendo votos. Emanuel informou em nota à imprensa que só vai se manifestar sobre o resultado nesta segunda-feira, 16. 

     

    Já Abílio celebrou a ida ao segundo turno ao lado do vice, Felipe Wellaton. “Estamos animados. Era o duelo que todos esperavam. Quem menospreza o adversário tem surpresas e a prova disso somos nós. Não subestimo meu adversário e acredito que será difícil, sim”.

     

    Em terceiro lugar, ficou a única mulher da disputa, Gisela Simona (PROS), com 19,42% dos votos. Em seguida, os candidatos Roberto França (Patriota), com 9,49%; Julier Sebastião (PT), com 3,13%; Aécio Rodrigues (PSL), com 2,11%; Paulo Henrique Grando (Novo), com 1,05%; e Gilberto Lopes Filho (PSOL), com 0,45%.

     

    Senado

     

    Mato Grosso teve uma eleição suplementar para senador e, com 25,99% dos votos válidos, Carlos Fávaro (PSD) foi eleito. Ele, que já ocupa desde abril deste ano a vaga deixada pela senadora cassada, a juíza Selma Arruda (Podemos), venceu dez candidatos, com quase 370 mil votos. Em 2018, Fávaro terminou as eleições em terceiro lugar. (Bruna Pinheiro, especial para o Estadão)

     

    Veja os números do primeiro turno em Cuiabá

  • 01h16

    16/11/2020

    Com MDB em alta, Porto Alegre terá 2º turno com Melo e Manuela

     

    Pesquisas eleitorais que apontavam Manuela D’Ávila (PCdoB) com folga à frente nas intenções de voto em Porto Alegre não se confirmaram. Com 99% das urnas apuradas, o candidato Sebastião Melo (MDB) obteve 31,02%, ante 28,9% de Manuela.

     

    A diferença era de pouco mais de 13 mil votos. A candidata do PCdoB chegou a largar na frente, mas perdeu a dianteira quando o sistema de apuração foi atualizado. Leia mais aqui.

     

    Foto: Reprodução/Facebook Sebastião Melo

    Reprodução/Facebook Sebastião Melo

  • 00h53

    16/11/2020

    Com Arthur Henrique e Ottaci na disputa, Boa Vista terá 2º turno pela primeira vez

     

    BOA VISTA - A população de Boa Vista optou por ir ao segundo turno pela primeira vez na história. A disputa fica entre o atual vice-prefeito, Arthur Henrique (MDB), e o deputado federal Ottaci (Solidariedade).

     

    Com 100% dos votos apurados, o candidato Arthur Henrique teve 49,64% dos votos válidos. Em segundo lugar ficou Ottaci, com 10,59%. Na sequência, aparecem o vereador Linoberg Almeida (Rede), com 9,99%; a deputada federal Shéridan Oliveira (PSDB), com 8,90% e o deputado federal Nicoletti (PSL), com 8,52%. Brancos somaram 1,64% e nulos totalizaram 2,86%.

     

    O processo de divulgação dos votos começou com mais de duas horas de atraso. Os primeiros municípios de Roraima com dados divulgados foram Caracaraí e Uiramutã. Já a apuração na capital Boa Vista só iniciou por volta das 20 horas.

     

    Segundo a Assessoria de Comunicação do TSE, em nota oficial, ocorreu uma lentidão no processo de totalização dos votos e que, por causa disso, houve um atraso para a divulgação dos resultados da apuração.

    (Por Paola Carvalho, especial para o Estadão)

  • 00h43

    16/11/2020

    Hildon Chaves buscará reeleição em Porto Velho contra Cristiane Lopes

     

     

    PORTO VELHO – O candidato à reeleição à Prefeitura de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB), vai disputar o segundo turno com Cristiane Lopes (PP). Com 100% das urnas apuradas, Hildon contabilizou 34,01% (74.728 votos), ante 14,32% (31.461 votos) conquistados por Cristiane. Na reta final da campanha, a candidata do PP contraiu covid-19 e não pôde votar nela mesma neste domingo, 15.

     

    Também participaram do pleito os candidatos Vinícius Miguel (Cidadania), que registrou 13,36%; Dr. Breno Mendes (Avante), com 11,50%; Coronel Ronaldo Flores (Solidariedade), 7,62%; Lindomar Garçon (Republicanos), 5,49%; Williames Pimentel (MDB), 3,73%; Ramon Cujuí (PT), 3,22%; Sargento Eyder Brasil (PSL), 2,56%; Edvaldo Soares (PSC), 1,89%; Leonel Bertolin (PTB), 0,74%; Samuel Costa (PCdoB), 0,56%; Pimenta de Rondônia (PSOL), 0,54%; Pastor Leonardo Luz (PRTB), 0,34%; e Geneci Gonçalves (PSTU), com 0,14%. Votos brancos e nulos somaram 3,58% e 5,31%, respectivamente.

     

    “Só tenho a agradecer a população de Porto Velho que nos deu, entre 15 candidatos, 34% dos votos. Vamos continuar com a nossa coligação. Não vou vender o nosso governo, não vamos fazer conchavos e acordos. Vamos continuar dessa maneira que nós chegamos até agora. Não precisamos fazer acordo com partidos, precisamos estar ao lado da população de Porto Velho", disse Hildon Chaves.

     

    "Agradeço a Deus, minha família e apoiadores, a todos que acreditam, muito obrigada pelos votos de confiança. Foram 15 candidatos, uma única mulher na disputa. Não somente pelo fato de ser mulher, mas pelo fato de realmente ter o desejo no coração de representar de verdade e lutar e poder fazer de verdade por essa cidade. Nós vamos trazer uma renovação", disse a candidata Cristiane Lopes (PP), que está em tratamento contra a covid-19, durante transmissão ao vivo. (Quétila Ruiz, especial para o Estadão)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.