Política

Política

Gilmar Mendes, do STF, suspende a posse de Lula após atos pró-governo

Atos ocorreram em todas as capitais do país em favor da presidente Dilma e do ex-presidente Lula, que participou em São Paulo

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, suspendeu na sexta-feira à noite a posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro-chefe da Casa Civil. O magistrado também decidiu que o processo contra o petista deve ficar com o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato. O governo pode recorrer da decisão.

O parecer do ministro foi divulgado após o término dos atos pró-governo em todas as capitais do País. De acordo com os organizadores em cada Estado, 1,3 milhão de pessoas participaram dos protestos nesta sexta. Nas estimativas da PM, 250 mil pessoas estiveram presentes.

Em São Paulo, Lula discursou para 80 mil pessoas, segundo a PM – a CUT, uma das organizadoras do evento, calculou 350 mil pessoas. O ex-presidente afirmou que integrará o governo de Dilma 'para ajudar, não para brigar'. 

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 21h48

    18/03/2016

    Caros leitores, encerramos a cobertura ao vivo dos atos em favor da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Obrigada pela companhia. 

  • 21h21

    18/03/2016

    Brasília - A manifestação pró-governo organizada por movimentos sociais em Brasília teve início às 17h de hoje e segue até o momento sem conflitos. Apesar de um acordo prévio com a PM para que a manifestação ficasse próxima ao Museu da República, o grupo desceu o Eixo Monumental até o gramado do Congresso Nacional. No local, os manifestantes gritavam "fora Cunha" pedindo a saída do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-DF). Antes das 21h parte dos manifestantes começou a deixar o local. Há pouco teve início uma apresentação do rapper brasiliense Gog. Os organizadores prometeram um novo ato para 31 de março com 200 mil pessoas. (Victor Martins)

  • 21h19

    18/03/2016

    A OAB decidiu, por 27 votos a 2, apoiar o pedido de impeachment de Dilma no Congresso. Leia aqui.

  • 21h18

    18/03/2016

    URGENTE: Brasília - O Ministro Gilmar Mendes suspende a posse de Lula como ministro da Casa Civil e decide que a investigação contra o ex-presidente Lula continuará sendo feita pelo juiz federal Sergio Moro. O petista ainda pode recorrer da decisão no Supremo Tribunal Federal. 

  • 20h42

    18/03/2016

    Porto Alegre - Aos gritos de "não vai ter golpe, já tem Lula", os manifestantes em prol da presidente Dilma e do ex-presidente Lula chegam ao final do ato. Conforme a organização, cerca de 50 mil pessoas, entre elas, representantes de movimentos sociais, centrais sindicais e partidos políticos fizeram ua grande manifestação desde a tarde desta sexta, na região central da cidade. Até o momento não há registro de qualquer ocorrência. A PM estimou os presentes em 10 mil. (Lucas Azevedo - Especial para O Estado)

  • 20h37

    18/03/2016

    São Paulo - Em discurso durante ato pró-governo na Av. Paulista nesta sexta-feira, o ex-presidente Lula afirmou que oposição está 'atrapalhando Dilma a governar'. Leia mais aqui

  • 20h34

    18/03/2016

    Sorocaba – Grupos de apoio e contra à nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao ministério da presidente Dilma Rousseff (PT) entraram em confronto, no fim da tarde desta sexta-feira, 18, em Jacareí, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo. Em vários automóveis e picapes, o grupo contrário ao governo tentou impedir que os apoiadores do PT seguissem de ônibus para a manifestação na Avenida Paulista, em São Paulo. Os petistas haviam fretado cinco ônibus para a viagem, mas houve a suspeita de que tivesse havido ajuda da gestão municipal, que é petista.


    Os contrários ao PT bloquearam a saída de dois ônibus, no Parque da Cidade, e a discussão virou pancadaria. Pelo menos cinco pessoas sofreram escoriações e ferimentos leves. Os ôníbus seguiram, mas foram atingidos por rojões. A Polícia Militar chegou quando o confronto já havia terminado. A prefeitura emitiu nota negando qualquer apoio à manifestação dos petistas. (José Maria Tomazela)

  • 20h33

    18/03/2016

    Porto Alegre - Ao mesmo tempo em que milhares de pessoas fazem uma manifestação pelo centro da cidade em prol do governo federal, um público contrário, que defende o impeachment, toma conta da área do Parque Moinhos de Vento, o Parcão. O trânsito no local é complicado. Ainda não há estimativa do número de pessoas. (Lucas Azevedo - Especial para O Estado)

  • 20h32

    18/03/2016

    Em Recife, manifestantes pró-Dilma e Lula tomam ruas da cidade.

    Anderson Bandeira/Estadão

  • 20h31

    18/03/2016

    Porto Velho - Manifestantes reuniram-se no final da tarde desta sexta-feira, 18, na avenida José Amador dos Reis em frente ao 8º Distrito de Polícia em Porto Velho para manifestar apoio a Presidente Dilma Rousseff, ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao Partido dos Trabalhadores (PT).


    Em discurso, o presidente do PT em Porto Velho, Antônio Ferreira, disse que a Zona Leste foi a região onde Lula mais fez investimentos em Porto Velho, durante o período em que foi presidente do Brasil. Com faixas de "Fora Cunha", "Não vai ter Golpe", "Mexeu com o Lula, mexeu comigo", os manifestantes munidos de bandeiras do partido e do Brasil tomaram os dois lados da avenida. A Polícia Militar (PM) não está acompanhando o protesto.


    Antes de saírem em passeata, os organizadores da manifestação distribuíram salgados (coxinhas) para os participantes em protesto aos 10 mil manifestantes que foram as ruas no domingo, 13, em Porto Velho e nos outros estados do país.


    Participaram do evento representantes do Sindicado dos Professores em Rondônia (Sintero), do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB), Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Frente Brasil Popular, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), apoiadores e militantes do PT. (Quetila Ruiz - Especial para O Estado)

  • 20h29

    18/03/2016

    Fortaleza – Do alto do carro de som, os organizadores estimaram em 15 mil pessoas o número de participantes em mobilização no Centro de Fortaleza, no ato desta sexta-feira, em favor do governo da presidente Dilma Rousseff e de apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A Polícia Militar do Ceará calculou em 7 mil no ponto de maior concentração, à noite na Praça do Ferreira, local onde foram feitos os discursos e aconteceu um show com artistas.


    A concentração começou por volta das 14 horas na Praça da Bandeira. De lá, os manifestantes seguiram caminhando pelas principais ruas do Centro. Todo o percurso aconteceu sem incidentes e o comércio funcionou normalmente. Cerca de 250 policiais militares acompanharam a movimentação.


    “Não vai ter golpe! Vai ter luta!” e “O povo não é bobo! Abaixo a Rede Globo” foram os gritos de ordem mais ouvidos. Predominavam também faixas de apoio ao ex-presidente Lula. A presidente do Sindicato dos Jornalistas do Ceará, Samira Castro, participou do protesto. Em discurso, ela pediu para que as pessoas respeitassem os profissionais da imprensa que estavam cobrindo o ato. 


    O líder do governo Dilma na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE), também estava presente. Aos jornalistas, ele disse não acreditar na saída do PMDB da base aliada. “Não é sobre ser a favor ou contra o governo, mas nos darmos conta da dimensão do que está acontecendo. A democracia está em risco, um governo legitimamente eleito está sendo deposto por causa da mídia. Então independe de qual é a sua cor, a lógica é: a democracia tem que ser superior. Todo e qualquer regime totalitário vai massacrar a democracia”, declarou a cientista política Eveline Augusto, presente ao ato.


    Além de Fortaleza, também houve ato em defesa de Dilma na cidade de Sobral, berço político dos irmãos Cid e Ciro Gomes (PDT). De acordo com os organizadores, mil pessoas estavam presentes. A PM não divulgou estimativa.


    O prefeito da cidade, Clodoveu Arruda (PT) puxou a manifestação. “Estamos aqui para defender a democracia, os direitos as regras constitucionais. Há um movimento de golpe contra a presidenta, e não podemos deixar isso acontecer. Agora querem até impedir que o ex-presidente assuma a Casa Civil. Isso é um fascismo sem tamanho”, afirmou o prefeito.


    Ivo Gomes, irmão caçula de Ciro e Cid, também foi para rua neste 18 de março, mas negou que fosse por Dilma ou por Lula. “Tenho lado. Sempre tive. Ele é o da democracia, da tolerância, do respeito às divergências e da defesa das regras institucionais. Não vou nem pelo governo da Dilma, contra o qual não foi imputado nenhum crime, e muito menos pelo Lula, por quem não nutro nenhuma admiração. Vou pelas futuras gerações. Vou pelas gerações que me antecederam e derramaram sangue pelas liberdades individuais e pelos direitos coletivos. Vou pela ética na política. Vou pelo meu país. Vou contra o golpe em curso”, defendeu. (Carmen Pompeu - Especial para O Estado)

  • 20h27

    18/03/2016

    São Paulo - Os militantes do PT buscam as saídas perpendiculares da Avenida Paulista e tentam chegar às estações de metrô. Não há registros de confusão até o momento. 

  • 20h25

    18/03/2016

    Maceió - Manifestantes se reuniram na Praça do Centenário, no bairro do Farol, em um ato de apoio ao governo da presidente Dilma Rousseff. Eles saíram em caminhada pelas ruas do centro de Maceió. Segundo a Frente Brasil Popular, que coordenou o ato, cerca de 8 mil pessoas participaram da marcha. A Polícia Militar estimou os participantes em 3 mil militantes. O protesto terminou por volta das 13h, na Praça Dom Pedro II, em frente à Assembleia Legislativa de Alagoas. A representante da Frente Brasil Popular e presidente da Central Única de Trabalhadores (CUT), Rilda Alves, explicou o objetivo do ato. “Não é um ato de competição com as outras manifestações, estamos vindo para rua como sempre fazemos. É uma ação passiva e não queremos criar nenhum tipo de instabilidade”. (Carlos Nealdo - Especial para O Estado)

  • 20h24

    18/03/2016

    São Paulo - Após discursar para centenas de milhares de pessoas na Av. Paulista, o ex-presidente e ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva, deixou o local há pouco, cercado de seguranças. Lula chegou ao ato em defesa do governo por volta das 19h. A manifestação começou às 16h.

     

    Em seu discurso, feito em cima de um caminhão, Lula justificou a sua ida para Casa Civil, criticou as pessoas que protestaram contra a presidente Dilma Rousseff no último domingo e disse que o País precisa aprender a conviver com a diversidade. Também participaram do ato o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, e o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha. (André Ítalo Rocha)

  • 20h23

    18/03/2016

    Rio Branco - O Palácio Rio Branco, sede oficial do Governo do Acre, foi o local escolhido para as manifestações de apoio à presidente Dilma, ao ex-presidente Lula e contra o impeachment.

    Itaan Arruda/Estadão

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.