Política

Política

Veja como foi depoimento de Danilo Trento, empresário apontado como 'sócio oculto' da Precisa Medicamentos, à CPI

Senadores suspeitam que ele atuou nas negociações para a compra da vacina indiana Covaxin, alvo de irregularidades e um dos principais focos de investigação da comissão

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid recebeu nesta quinta-feira, 23, o empresário Danilo Trento. Os senadores queriam esclarecer a participação dele na compra da vacina indiana Covaxin e seu envolvimento com Francisco Maximiano, dono da Precisa Medicamentos, empresa intermediária da farmacêutica Bharat Biotech na aquisição do imunizante. Trento confirmou à CPI que é diretor-institucional da Precisa Medicamentos. A comissão suspeita que ele seja "sócio oculto" da empresa.

 

A transação comandada pela Precisa, que acabou cancelada pelo governo federal após o contrato entrar na mira da CPI, é uma das principais linhas de investigação da comissão. A vacina indiana foi negociada ao preço de US$15 a dose, a mais cara entre todas as analisadas pelo governo, totalizando R$ 1,6 bilhão. A verba chegou a ser empenhada (reservada formalmente no Orçamento da União) para a compra, mas nenhum pagamento foi efetivado.

 

Trento depôs amparado por um habeas corpus concedido pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), que lhe garantiu o direito de não responder a perguntas que pudessem incriminá-lo. Ele não soube explicar à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, no Senado, quais são as atividades de uma empresa sua, a Primarcial Holding e Participações. 

  

 

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 16h42

    23/09/2021

    Sessão da CPI desta quarta é encerrada

     

    A sessão da CPI da Covid que ouviu o diretor da Precisa Medicamentos, Danilo Trento, foi encerrada há pouco.  

  • 16h42

    23/09/2021

    CPI aprova requerimentos de quebra de sigilo da Barão Turismo e convocação de secretário de Saúde de SP

     

    Após o término do depoimento do diretor institucional da Precisa, Danilo Trento, a CPI da Covid aprovou um requerimento que solicita a quebra dos sigilos da empresa Barão Turismo e de seu proprietário, Rafael Barão, apresentado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE). A empresa recebeu mais de R$ 5 milhões da Precisa e o proprietário da agência esteve em viagem à Índia de que Trento participou para negociações da venda da Covaxin ao Brasil. O vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), havia sugerido que a Barão Turismo foi usada para lavar dinheiro nas negociações de compra da vacina.  

     

    Outro requerimento, do senador Eduardo Girão (Podemos-CE), para transformar o convite em convocação do secretário de Saúde de São Paulo para esclarecimento sobre a suposta subnotificação de mortes por covid-19 de pacientes da operadora Prevent Senior, também foi aprovado ao término da sessão.

     

    Roberta Vassallo

  • 16h31

    23/09/2021

    Viagens de Danilo Trento e Flávio Bolsonaro a Las Vegas coincidem e reforçam suspeitas na CPI

     

    O senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) esteve em Las Vegas no mesmo período de uma viagem do empresário Danilo Trento para a cidade norte-americana. Durante depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, nesta quinta-feira, 23, Trento confirmou que foi a Las Vegas, mas ficou em silêncio quando perguntado se algum senador o acompanhou. 

     

    O senador Eduardo Girão (Pode-CE) apresentou registros de viagem de Trento, diretor institucional da Precisa Medicamentos, para Las Vegas com ida de São Paulo no dia 23 de janeiro de 2020 e retorno no dia 27 de janeiro. De acordo com o parlamentar, a viagem fez parte de uma caravana de autoridades brasileiras, incluindo o atual ministro do Turismo e ex-presidente da Embratur, Gilson Machado, para o local.

     

    Dados do portal do Senado apontam que o senador Flávio Bolsonaro (Patriotas-RJ) esteve nos Estados Unidos em janeiro do ano passado. Segundo o site, o filho do presidente foi acompanhar uma comitiva da Embratur em reuniões com o Carnival Group e a Royal Caribbean International, em Miami, e com o presidente e CEO do Las Vegas Sand Corporation, Sheldon Adelson. A viagem do senador durou de 19 a 26 de janeiro do ano passado, segundo o portal. Havia eventos de 18 a 24 de janeiro de 2020.

     

    A recusa do empresário em detalhar a viagem ou até mesmo dizer se estava acompanhado de algum parlamentar levantou suspeitas da CPI. Por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), Danilo Trento tem direito a ficar em silêncio durante o depoimento, mas apenas sobre fatos que o incriminem. "Se não lhe autoincriminar, não cabe o direito ao silêncio. Se lhe autoincriminar, leva à dedução dessa CPI que foi uma viagem com indícios de crime", disse o vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues (Rede-AP). 

     

    A senadora Simone Tebet (MDB-MS) chamou a atenção para o fato de, no final de 2019, haver uma pressão nos senadores para aprovar um projeto de legalização dos jogos de azar no Brasil. Ela foi designada como relatora da proposta. "Não era um projeto que visava, num interesse público, a apresentar para todo mundo a possibilidade de se implantar os jogos de azar no Brasil, começa por aí. Parecia que tinha que ter regras certas, tinha endereço."

     

    Em nota divulgada há pouco, o senador Flávio Bolsonaro afirma que membros "irresponsáveis" da CPI "distorcem fatos e criam narrativas" para atacá-lo. O senador nega ter se reunido com Danilo Trento em Las Vegas e diz não possui vínculo de qualquer espécie com o depoente.

     

    Daniel Weterman e Julia Affonso

     

    Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

    .Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

  • 16h28

    23/09/2021

    Trento confirma ter ido algumas vezes ao Ministério da Saúde, mas não revela motivo

     

    O diretor institucional da Precisa, Danilo Trento, afirmou que foi algumas vezes ao Ministério da Saúde, mas permaneceu em silêncio ao ser perguntado sobre qual o objetivo de suas idas ao órgão. Ele compareceu à sessão da CPI munido de habeas corpus que o permite não responder perguntas que possam incriminá-lo ou envolvam algum tipo de sigilo profissional. O questionamento foi um dos últimos que o empresário respondeu antes do fim do depoimento.

     

    Questionado se teve relacionamento com representantes de partidos políticos em tratativas com o Ministério da Saúde durante a oitiva, o empresário também permaneceu em silêncio. 

     

    Roberta Vassallo

  • 16h27

    23/09/2021

    CPI retoma sessão para votar requerimentos

     

     

  • 16h26

    23/09/2021

    CPI encerra depoimento e faz intervalo antes de apreciar requerimentos

     

    A CPI da Covid encerou o depoimento de Danilo Trento, diretor da Precisa Medicamentos, e suspendeu a sessão. No retorno, que deve acontecer em alguns minutos, os membros da comissão vão apreciar requerimentos do senador Alessandro Vieira para quebrar sigilos para expor suposto contato do depoente com parlamentares.   

  • 15h23

    23/09/2021

    Tebet apresenta denúncia sobre atuação da CGU em relação a autoridades federais

     

    A senadora Simone Tebet (MDB-MS) apresentou uma denúncia durante a sessão da CPI da Covid que sugere que a Controladoria-Geral da União (CGU) não tenha autonomia para investigar autoridades federais em suas auditorias. De acordo com a denúncia, o ministro e ocupantes de outros cargos comissionados de chefia da CGU são os únicos que assinam relatórios de auditorias realizadas pelo órgão. Isso impediria que os documentos tivessem denúncias que poderiam afetar autoridades federais, já que a permanência nos cargos comissionados depende da anuência do Executivo federal.

     

    Segundo a senadora, que foi ofendida pelo ministro da CGU, Wagner Rosário, em sessão da CPI na segunda-feira, a denúncia teria sido enviada por um servidor do próprio órgão.

     

    "O ministro da CGU, assim como os demais cargos de comando da CGU, secretários e diretores, que são auditores, mas elevados em cargos de comissão, não possuem garantia de permanência no cargo. Qualquer atuação que desagrava o Executivo federal implica necessariamente na exoneração do dirigente do cargo, que volta a ser auditor de carreira", diz a denúncia lida pela senadora.

     

    "É por isso também que auditores da CGU concursados, mas sem cargo em comissão são completamente restringidos nos seus direitos dentro do órgão, sendo impedidos inclusive de assinar relatórios que realizam. Todos os relatórios da CGU são assinados por diretores da instituição", continuou. 

     

    "O motivo para isso é simples: se a instituição conceder poder para que auditores sem cargo comissionado assine e emita seus relatórios, muitas irregularidades sobre agentes federais de relevo iriam parar no relatório e os dirigentes da CGU iriam ser pressionados pelo governo, muitas vezes sob ameaça de exoneração de seus cargos."

     

    Roberta Vassallo

     

    Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

    Leopoldo Silva/Agência Senado

  • 14h57

    23/09/2021

    Simone Tebet questiona depoente sobre suposta venda de vacinas da Precisa à iniciativa privada

     

    A senadora Simone Tebet (MDB-MS) citou o bloqueio de R$ 142 mil da Precisa Medicamentos, determinado pelo Tribunal de Justiça de SP. A empresa teria oferecido 7 mil doses da Covaxin a um laboratório mineiro e recebido um "sinal" correspondente a 10% do valor do contrato. “É importante saber em que data o contrato foi feito, se estava tramitando a Medida Provisória que previa a comercialização de vacinas e se o laboratório tinha o intuito de doar 100% das vacinas ao SUS”.

     

    No começo do ano, houve discussão no Congresso sobre a aquisição de imunizantes pela iniciativa privada. A determinação é que o produto pode ser comprado, desde que seja integralmente doado à rede pública de saúde.  

     

    Davi Medeiros

  • 14h57

    23/09/2021

    CPI suspeita de viagem de Trento com senador a Las Vegas ; empresário confirma

     

    O diretor institucional da Precisa Medicamentos, Danilo Trento, admitiu à CPI da Covid ter feito uma viagem a Las Vegas após ser questionado pelo senador Humberto Costa (PT-PE). A hipótese do parlamentar é de que o empresário teria viajado com um senador para tratar da vinda de cassinos ao Brasil. Ao ser questionado sobre qual foi o senador que o acompanhou na viagem, Trento exerceu o direito constitucional de permanecer em silêncio garantido pelo habeas corpus concedido pelo STF. 

     

    O empresário disse que não lembrava sequer o mês em que a viagem ocorreu, mas afirmou que foi feita em um avião de carreira, e não em jatinho fretado. 

     

    "Pelas informações que tenho, o sr. Danilo Trento foi tratar de um assunto que tem muita gente interessada neste governo, que é trazer a jogatina americana para o Brasil, que é uma forma boa de fazer lavagem de dinheiro, sonegar imposto e dar espaço para o crime organizado", disse Humberto Costa durante o questionamento. 

     

    Posteriormente, o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) perguntou se parlamentares participaram da viagem a Las Vegas e, em caso de afirmativa, quais. Danilo Trento mais uma vez ficou em silêncio. Os senadores Alessandro Vieira e Randolfe Rodrigues, então, reiteraram que só cabe ao depoente o direito de ficar calado se a resposta puder incriminá-lo. Girão insistiu no questionamento, e Trento não respondeu. "Isso leva à dedução da Comissão Parlamentar de Inquérito que esta viagem teve indício de crime ou foi criminosa", afirmou Randolfe.    

     

    Questionado por Girão se a ida a Las Vegas teve relação com o projeto de lei que propõe liberar resorts integrados (com cassinos) no Brasil, Trento negou. Segundo o senador, a viagem teria ocorrido em 23 de janeiro de 2020, mesma data de uma comitiva do Senado à cidade solicitada por Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ).

     

    Roberta Vassallo e Davi Medeiros

     

    Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

    Edilson Rodrigues/Agência Senado

  • 14h51

    23/09/2021

    Sessão é retomada

     

    Após consultar seus advogados, o depoente afirmou não saber se a Precisa tem bens bloqueados, informação solicitada pela senadora Simone Tebet.

  • 14h50

    23/09/2021

    Sessão é suspensa para Trento consultar seus advogados

     

    Após se negar a responder pergunta da senadora Simone Tebet sobre bloqueio de bens móveis e imóveis da Precisa, Danilo Trento pediu para consultar seus advogados e a sessão foi suspensa por três minutos. 

  • 14h40

    23/09/2021

    Tribunal de Justiça de SP bloqueia R$ 142 mil da Precisa por dívida com laboratório mineiro envolvendo 7 mil doses da Covaxin

     

    A 27ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo determinou o bloqueio de R$ 142 mil da Precisa Medicamentos no âmbito de uma ação movida pelo laboratório mineiro Côrtes Villela envolvendo a compra de 7.201 doses da vacina indiana Covaxin, a 38 dólares cada.

     

    O valor bloqueado corresponde ao montante que o laboratório pagou como sinal ao fechar a compra da vacina indiana com a Precisa, em janeiro de 2021. O contrato estipulava que, em caso de não entrega dos imunizantes, o laboratório poderia reaver o dinheiro em até 10 dias úteis, o que não aconteceu.

     

    Leia reportagem no blog de Fausto Macedo.

     

    Foto: Divulgação/Bharat Biotech

     Foto: Divulgação/Bharat Biotech

  • 14h27

    23/09/2021

    CPI retoma depoimento de Danilo Trento

     

    A CPI da Covid retomou há pouco a sessão desta quinta, em que depõe o diretor institucional da Precisa, Danilo Trento.

  • 13h53

    23/09/2021

    CPI aponta fluxograma e vincula atuação da Precisa com Flávio Bolsonaro

     

    A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid apresentou um fluxograma que liga a atuação da Precisa Medicamentos, empresa que intermediou a negociação da Covaxin, com o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro.

     

    Durante depoimento do empresário Danilo Trento, diretor institucional da Precisa, o relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), mostrou um gráfico apontando movimentações financeiras entre empresas de Francisco Maximiano, dono da Precisa, e a Primarcial Holding, da qual Danilo Trento é sócio.

     

    Dentre as movimentações, estão entradas e saídas de dinheiro para a Xis Internet Fibra, empresa de Maximiano e que foi motivo de uma interlocução com Flávio Bolsonaro. O senador levou Maximiano a uma reunião virtual com o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, em 13 de outubro.

     

    Segundo o próprio parlamentar, a reunião tratou sobre um pedido de financiamento a Xis Internet Fibra e não houve negociações envolvendo a Precisa, investigada pela CPI. Para a comissão, no entanto, a Precisa  realizou uma série de movimentações financeiras suspeitas por meio de outras empresas de fachada.

     

    As operações apontam para um suposto esquema de lavagem de dinheiro. O Ministério da Saúde fechou um contrato com a Precisa e chegou a empenhar R$ 1,6 bilhão para comprar as doses da Covaxin, mas cancelou a contratação após o avanço das investigações.

     

    Daniel Weterman e Julia Affonso

     

    Foto: Wilton Junior/Estadão

    Foto: Wilton Junior/Estadão

  • 13h03

    23/09/2021

    Trento se recusa a responder sobre compra de joias

     

    Antes da sessão ser suspensa por 30 minutos, o depoente foi questionado pelo vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues, sobre para quem foram as joias ou relógios da marca Rolex adquiridos por uma das empresas de Trento em shopping de Curitiba, o empresário se reservou ao direito de ficar em silêncio.

     

     Segundo o senador, essa é "uma das pergunats mais importantes" a serem respondidas e Trento deve "refletir" sobre o assunto até o fim do depoimento.

     

    Antes do início da sessão, Randolfe já havia citado a transação e chegou a chamar Trento de "chefe da lavanderia da Precisa". "Nos chamou muita atenção o caminho do dinheiro. Uma aquisição feita por uma dessas empresas para compra de joias, ou de Rolex, em duas joalherias, uma em São Paulo, e outra em Curitiba. Nesta joalheiria de Curitiba, nós esperamos, até o final da inquirição de hoje, ter a resposta sobre por que foi comprada uma joia através de uma empresa de investimento e participações em uma empresa farmacêutica, e para quem foi comprada", disse.

     

    Cássia Miranda

    Foto: Pedro França/Agência Senado

     

    Foto: Pedro França/Agência Senado

Estadão Blue Studio Express

Conteúdo criado em parceria com pequenas e médias empresas. Saiba mais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.