1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Volta de inquérito à PF é 'boa notícia', diz Veiga

SUZANA INHESTA E MARCELO PORTELA - Agência Estado

10 Junho 2014 | 18h 08

O pré-candidato ao governo de Minas Gerais pelo PSDB, Pimenta da Veiga, chegou na tarde desta terça-feira na convenção estadual de seu partido e a jornalistas disse que foi uma "boa notícia" a devolução, pelo Ministério Público Federal à Polícia Federal, do inquérito no qual é acusado de ter envolvimento no mensalão mineiro. "O MP devolveu o inquérito à Polícia Federal, considerando os elementos inconsistentes. Foi uma boa notícia. Portanto, vamos aguardar. Mas a notícia foi boa", declarou.

Segundo ele, nos próximos dias, sua equipe divulgará as primeiras metas do programa de governo. "Já posso dizer isso, porque nossa chapa será homologada hoje. E teremos metas para a saúde, na segurança, educação e infraestrutura", enfatizou. Para ele, a convenção de hoje é grandiosa pela aliança com 20 partidos. "Estamos satisfeitos com o que já conseguimos. E, claro, se vierem outros, será melhor ainda", declarou, respondendo a uma pergunta que fez menção a uma fala do presidente estadual do PSDB, Marcus Pestana, mais cedo, de que as conversas para um eventual apoio do PSB ainda prosseguem apesar do partido querer ter uma candidatura própria no Estado.

Ainda com relação ao PSB, Veiga afirmou que ficou muito feliz com a manifestação do prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), de que apoiaria o PSDB. "Ele é a figura de maior expressão dentro do PSB. Sobre a intenção do partido lançar candidatura própria no Estado, desde o começo tenho dito que nós iremos respeitar as decisões que o partido tomar. Mas fiquei muito alegre com a posição do Lacerda", declarou.

Sobre a presença ativa de Dilma Rousseff no Estado, Veiga disse que "certamente" ela está preocupada com as pesquisas. "Mas acho que os mineiros estão muito conscientes, acompanham a atuação do governo federal e não acho que nas vésperas das eleições, alguma coisa vai mudar", falou, em alusão ao apreço do eleitorado mineiro ao presidenciável Aécio Neves.