1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Mensalao

Vizinhos dizem que Pizzolato já estava em Maranello desde 2013

Jamil Chade, enviado especial

06 Fevereiro 2014 | 12h 03

Versão é diferente da apresentada pela polícia italiana, para quem o ex-diretor estava havia uma semana na casa onde foi preso

POZZA DI MARANELLO - Vizinhos da casa onde o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foi preso nessa quarta-feira, 5, em Pozza di Maranello desmentem a versão da polícia de Modena e garantem que o brasileiro esteve na casa já desde o ano passado. Na quarta-feira, Pizzolato foi preso na casa de um sobrinho que trabalha na Ferrari. Desde então, está detido na prisão de Modena. Ele foi condenado por envolvimento no mensalão e é considerado foragido da Justiça brasileira desde novembro.

Na manhã desta quinta-feira, 6, a polícia indicou que acredita que Pizzolato estivesse na casa por uma semana. Mas a versão contada pelos vizinhos é diferente. Para a cabeleireira Giorgia Vitali, que tem seu estabelecimento vizinha à casa do sobrinho de Pizzolato, o brasileiro já estava na cidade antes do Natal. "Parecia ser uma pessoa gentil", contou. "Ele saudava e eu saudava de volta", disse a cabeleireira. "A última vez que o vi faz já algumas semanas", insistiu Giorgia.

Do outro lado da rua, o dono de um supermercado é mais contundente. "Quando eu vi a foto no jornal, logo entendi quem era a pessoa", contou Gaetano, o proprietário do mercado Sigma. "Ele vinha todos os dias pela manhã, por volta das dez horas. Comprava pasta, cerveja e pagava tudo em dinheiro", disse o empresário, que pediu para não ter seu sobrenome revelado. "Agora que entendi que ele é um homem perigoso. Pessoalmente, parecia alguém muito distinto, muito sério e que falava pouco", comentou.

Gaetano também revelou que Pizzolato jamais saia ao supermercado com sua mulher e que era um dos poucos clientes que ele tinha que também vinham aos domingos. Já a polícia insiste que ele chegou à casa no máximo havia dez dias e que acumulava comida para não precisar sair.

Mensalao