Veja ranking dos maiores 'puxadores de votos'

Garotinho pôs na Câmara outros três parlamentares, além de garantir a própria vaga

Sílvio Guedes Crespo, do Estadao.com.br,

04 Outubro 2010 | 15h04

NOTÍCIA ATUALIZADA ÀS 19h12*

 

O candidato a deputado federal mais votado do País, Tiririca (PR-SP), com seu 1,35 milhão de votos, garantiu a sua própria vaga na Câmara e a de mais 3,5 deputados.

 

Isso ocorreu porque os candidatos mais bem colocados repassam parte de seus votos para colegas de coligação. Em São Paulo, por exemplo, o chamado quociente eleitoral (número de votos necessários para obter uma cadeira na Câmara) foi de 304,5 mil. Tiririca superou essa marca em mais de 1 milhão de votos.

 

O fato de um candidato não atingir o quociente eleitoral não significa que ele não é eleito. Ao contrário, a maioria dos deputados consegue sua vaga sem bater essa marca. Isso porque os que chegam mais perto do quociente eleitoral, sem atingi-lo, recebem votos de três fontes:

 

- dos candidatos mais votados, que transferem o excedente aos colegas de coligação;

- da votação na legenda do partido;

- dos postulantes que tiveram mau desempenho nas urnas (eles também repassam seus votos a aliados com chance de serem eleitos).

 

Abaixo, os quatro "puxadores de votos" (candidatos que transferem a votação excedente aos colegas) que conseguiram eleger pelo menos mais um deputado além de si mesmo. Por exemplo, Tiririca elegeu 4,5 parlamentares (ele e mais 3,5).

 

1. Tiririca (PR-SP): 4,5

2. Anthony Garotinho (PR-RJ): 4

3. Manuela D'Avila (PCdoB-RS): 2,5

4. Anna Arraes (PSB-PE): 2,2

 

O candidato Paulo Maluf (PP-SP), no entanto, pode mudar esse cenário. Sua candidatura foi indeferida, mas ele entrou com recurso. O ex-prefeito de São Paulo teve 497 mil votos, que, por enquanto, não estão sendo contados como válidos. Caso a Justiça decida por deferir a candidatura de Maluf, ele tomará posse e ainda repassará 193 mil votos a aliados, modificando ligeiramente a composição da Câmara. Além de Maluf, há 139 postulantes a deputado federal que tiveram a candidatura indeferida e entraram com recurso. Porém, a votação deles é bem menos expressiva.

 

 

Veja também a lista completa de todos os "puxadores de votos", separados por Estado.

 

 

São Paulo - quociente eleitoral: 304.533 votos

1. Tiririca (PR), com 1.353.820 votos, elege 4,5 deputados

2. Gabriel Chalita (PSB), com 560.022 votos, elege 1,8 deputado

 

 

Minas Gerais - quociente eleitoral: 194.019

1. Rodrigo de Castro (PSDB), 271.306 votos, elege 1,4 deputado

2. Lael Varela (DEM), 243.884 votos, elege 1,3 deputado

3. Weliton Prado (PT), 234.397 votos, elege 1,2 deputado

4. Eros Biondini (PTB), 208.058 votos, elege 1,1 deputado

5. Alexandre Silveira (PPS), 199.418 votos, elege 1,03 deputado

 

 

Rio de Janeiro - quociente eleitoral: 173.883 votos

1. Anthony Garotinho (PR), com 694.862 votos, elege 4 deputados

2. Chico Alencar (PSOL), com 240.724 votos, elege 1,4 deputado

 

 

Bahia - quociente eleitoral: 171.384 votos

1. ACM Neto (DEM), com 328.450 votos, elege 1,9 deputado

2. Lucio Vieira Lima (PMDB), com 221.616 votos, elege 1,3 deputado

3. Rui Costa (PT), com 212.157 votos, elege 1,2 deputado

4. João Leão (PP), com 203.604 votos, elege 1,2 deputado

5. Pelegrino (PT), com 202.798 votos, elege 1,2 deputado

 

 

Rio Grande do Sul - quociente: 193.126 votos

1. Manuela D'Avila (PCdoB), com 482.590 votos, elege 2,5 deputados

2. Beto Albuquerque (PSB), com 200.476 votos, elege 1,04 deputado

 

 

Paraná - quociente eleitoral: 189.336 votos

1. Ratinho Junior (PSC), com 358.924 votos, elege 1,9 deputado

 

 

Pernambuco - quociente eleitoral: 176.207 votos

1. Anna Arraes (PSB), com 387.581 votos, elege 2,2 deputados

2. Eduardo da Fonte (PP), com 330.520 votos, elege 1,9 deputado

3. João Paulo (PT), com 264.250 votos, elege 1,5 deputado

4. Inocêncio Oliveira (PR), com 198.407 votos, elege 1,1 deputado

5. Pasto Eurico (PSB), com 185.870 votos, elege 1,1 deputado

 

 

Ceará - quociente eleitoral: 181.607

1. Domingos Neto (PSB), com 246.591, elege 1,4 deputado

2. Guimarães (PT), 210.366 votos, elege 1,2 deputado

 

 

Pará - quociente eleitoral: 201.332

1. Wlad (PMDB), com 236.514 votos, elege 1,2 deputado

2. Elcione (PMDB), com 209.635 votos, elege 1,04 deputado

 

 

Goiás - quociente eleitoral: 169.815 votos

1. Dona Iris (PMDB), com 185.934 votos, elege 1,1 deputado

2. Rubens Otoni (PT), com 171.382 votos, elege 1,01 deputado

 

 

Piauí - quociente eleitoral: 165.860 votos

1. Marcelo Castro, com 171.697 votos, elegeu 1,04 deputado

 

 

Rio Grande do Norte - quociente eleitoral: 206.681

1. Fátima (PT), com 220.355 votos, elegeu 1,1 deputado

2. João Maia (PR), com 217.854 votos, elegeu 1,1 deputado

 

 

Distrito Federal - quociente eleitoral: 175.760 votos

1. Reguffe (PDT), com 266.465 votos, elege 1,5 deputado

 

 

Rondônia - quociente eleitoral: 88.320

1. Marinha Raupp (PMDB), com 100.589 votos, elegeu 1,4 deputado

 

 

Acre - quociente eleitoral: 42.709 votos

1. Marcio Bittar (PSDB), com 52.183 votos, elege 1,1 deputado

 

 

Roraima - quociente eleitoral: 27.837

2. Teresa Jucá, com 29.804 votos, elege 1,1 deputado

 

 

Em Santa Catarina, Maranhão, Paraíba, Espírito Santo, Mato Grosso, Alagoas, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Sergipe, Tocantins e Amapá, nenhum candidato atingiu o quociente eleitoral, ou seja, não houve 'puxador de votos' nesses Estados.

 

* ERRATA: O candidato Eduardo da Fonte (PP-PE), teve 330.520 votos, e não 387.581, número que elege 1,9 candidato, e não 2,2, como afirmava esta reportagem incorretamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.