Um novo cerimonial para a posse da primeira mulher presidente do Brasil

Seguranças femininas, uma troca de vestidos no Congresso e desfile sozinha no Rolls-Royce presidencial farão a diferença este ano

Lisandra Paraguassú e Denise Madueño / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

31 Dezembro 2010 | 23h00

Primeira mulher eleita presidente no País, Dilma Rousseff mudou o ritual do cerimonial de sua posse. Seguranças mulheres e uma troca de vestidos no Congresso alteraram a ordem a que diplomatas e organizadores estavam acostumados.

 

"Agora temos uma presidente. Certamente algumas coisas terão de mudar e vamos nos adaptar", comentou o embaixador George Prata, chefe do cerimonial do Itamaraty. A presidente deve chegar ao Congresso, após desfilar em carro aberto, com um vestido vermelho e sairá de lá para o Planalto em um modelo pérola, criado pela estilista gaúcha Luisa Stadtlander. A mudança, além do significado político – de candidata a presidente – acata a sugestão do cerimonial de usar uma cor mais neutra para receber a faixa.

 

A troca deverá ser feita em um cômodo do gabinete da presidência do Senado, onde a presidente também poderá passar mais uma vez pelas mãos do cabeleireiro Celso Kamura, responsável pela mudança em seu visual durante a campanha, e pela maquiadora Rose Paz.

 

Divorciada, Dilma optou por fazer o tradicional desfile em carro aberto ao lado da filha Paula, que é procuradora do Trabalho e mora em Porto Alegre. No Rolls-Royce estarão ainda o motorista que a acompanha desde que era ministra das Minas e Energia e um ajudante de ordens militar, provavelmente uma mulher.

 

Ao lado do carro, além dos 32 agentes da Polícia Federal destacados para acompanhar o presidente, outras 10 mulheres agentes farão a segurança pessoal de Dilma. No total, 3 mil homens e mulheres deverão estar envolvidos na segurança, incluindo Forças Armadas, Polícia Militar e Polícia Federal.

 

Saída do Torto. Às 13h50 a presidente deixa a Granja do Torto, onde mora. Vinte minutos mais tarde, em frente à Catedral, na Esplanada dos Ministérios, ela inicia o desfile da posse. Deve chegar ao Congresso às 14h30, onde será esperada pelo presidente do Senado, José Sarney. Após fazer o primeiro discurso, passa em revista a tropa e ouve a salva de 21 tiros de canhão.

 

De volta ao Rolls-Royce, vai para o Planalto, onde o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a aguardará na rampa. Os dois, acompanhados do ex e do novo vice-presidente e suas esposas, além da primeira-dama Marisa Letícia, seguem para o Parlatório, onde Lula passa a faixa presidencial. A presidente leva, então, o ex-presidente até o fim da rampa e volta ao salão Nobre do Planalto, onde recebe os cumprimentos das autoridades estrangeiras. À noite haverá um coquetel no Itamaraty, onde se reunirão as autoridades estrangeiras e cerca de 2 mil convidados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.