Um dia após aumento, Lula cria mais 626 cargos de confiança

Um dia depois de aumentar o salário das 21.563 pessoas que ocupam função de confiança no governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva autorizou a criação de mais 626 cargos comissionados. Os aumentos da última segunda-feira chegaram a 140%. A decisão de criar os chamados Direção e Assessoramento Superior (DAS) reacende a briga de petistas, aliados e afilhados políticos do Palácio do Planalto por cargos cujos salários vão de R$ 1,9 mil a R$ 10,4 mil. Com a medida, a despesa extra da máquina pública será oficialmente de R$ 23,2 milhões por ano. Neste ano, o gasto chegará a R$ 13,5 milhões. A autorização de Lula para criar os DAS foi publicada de forma camuflada na edição desta terça-feira, 19, do Diário Oficial da União. Os novos cargos foram estabelecidos pela Medida Provisória 377 que cria a Secretaria de Planejamento de Longo Prazo, pasta que será ocupada pelo ex-crítico do governo Roberto Mangabeira Unger. Do total de DAs criados, 83 ficarão sob o comando de Mangabeira. O restante para a Sudene e Sudam (140) e para a Secretaria do Patrimônio da União (224). A divisão dos cargos em comissão criados nesta terça-feira foi feita da seguinte forma: DAS-6: 4 cargos DAS-5: 65 cargos DAS-4: 116 cargos DAS-3: 192 cargos DAS-2: 200 cargos DAS-1: 49 cargos FG-1: 34 cargos

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 12h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.