1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Tropa do PA se revolta contra reajuste a oficiais da PM

CARLOS MENDES - Agência Estado

04 Abril 2014 | 18h 29

Um protesto organizado por soldados, cabos, sargentos e subtenentes do 6º Batalhão da Polícia Militar de Ananindeua, município da região metropolitana de Belém, paralisou os dois sentidos da rodovia BR-316, provocando um engarrafamento que no começo da noite desta sexta-feira, 4, alcançava 18 quilômetros. Os militares protestam contra o reajuste salarial de 110% concedidos pelo governador Simão Jatene para tenentes, majores e coronéis, deixando de fora os praças, que representam o grosso da tropa.

O reajuste foi aprovado na quarta-feira, 2, pela base aliada do governo na Assembleia Legislativa. Enquanto ocorriam atritos entre motoristas e militares no bloqueio armado em frente ao quartel da PM, uma comissão da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e deputados estaduais estavam reunidos para ouvir as reivindicações dos manifestantes. Eles querem que lhes seja concedido o mesmo reajuste escalonado de 110% dado aos oficiais. Se isso não for feito, eles ameaçam manter o bloqueio por tempo indeterminado.

Segundo representantes dos cabos e sargentos, não houve qualquer avanço nas negociações, o que deixou os militares ainda mais irritados. "O governador deu um tiro no próprio pé e isso pode custar caro para ele", declarou ao Estado um sargento, pedindo para não ser identificado por temer punição. Por lei, os militares são proibidos de fazer greve ou qualquer tipo de paralisação.

O comandante-geral da PM, coronel Daniel Mendes, esteve reunido com oficiais para avaliar a situação. A ordem é punir os manifestantes, mas há o temor de que uma operação armada para desmobilizar o movimento possa provocar uma tragédia. "Quem está nas ruas, combatendo a bandidagem, somos nós, mas nada estamos ganhando de reajuste. O governo prefere aumentar os salários dos que vivem dentro dos gabinetes dando ordens", desabafou outro militar, visivelmente irritado.

#ET