'Todo mundo sabe' da ligação do PT com as Farc, diz Serra

Tucano salientou que relação não significa que partido tenha vínculos com o narcotráfico

Eduardo Kattah, de O Estado de S.Paulo / BELO HORIZONTE,

19 Julho 2010 | 16h46

O presidenciável tucano José Serra afirmou nesta segunda-feira, 19, em Minas Gerais, que "todo mundo sabe" da ligação do PT com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), mas salientou que isso não significa que o partido tenha vínculos com o narcotráfico.

 

PT vai à Justiça contra Índio e PSDB

Índio da Costa vem a SP discutir declarações; assista aos vídeos

Bernardo: Índio da Costa 'se comporta como um idiota'

 

Ao participar de inauguração de um comitê no centro de Belo Horizonte, Serra foi questionado sobre as declarações de seu vice, Índio da Costa (DEM). Em uma entrevista gravada em vídeo e publicada no site do PSDB, Índio disse: "Todo mundo sabe que o PT é ligado às Farc, ligado ao narcotráfico, ligado ao que há de pior. Não tenho dúvida nenhuma disso". O vídeo foi retirado do ar.

 

Apesar de dizer que os esclarecimentos cabem a Índio, o candidato tucano endossou o vice no que se refere às ligações das Farc com o Partido dos Trabalhadores. "A ligação do PT com as forças armadas revolucionárias colombianas, isso todo mundo sabe, tem muitas reportagens, tem muita coisa. Apenas isso. Agora, as Farc são uma força ligada ao narcotráfico. Isso não significa que o PT faça o narcotráfico."

 

Serra também comentou a possibilidade de o PT entrar com representação no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) contra a subprocuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau. O tucano ironizou, afirmando que o PT, de forma recorrente, busca culpados "quando fazem algo ilegal". "Tem sempre essa novidade. Em geral, quando eles fazem algo ilegal, a vítima é a culpada", afirmou, evitando, contudo, críticas diretas ao presidente Lula.

 

Na mesma linha do discurso de Serra, Índio escreveu em seu Twitter nesta segunda que o "PT não faz narcotráfico. As Farc, sim". Ele também divulgou links de reportagens que comprovariam essas ligações. Segundo fontes do DEM, o deputado estaria em São Paulo para reuniões com a coordenação da campanha. A polêmica sobre o PT e as Farc seria um dos assuntos da pauta.

 

Reação

 

As declarações do vice de Serra geraram reações no PT, que prometeu ações contra Índio e o PSDB, e no governo. O ministro do planejamento, Paulo Bernardo, chegou a classificar o comportamento de Índio como o de "um idiota".

 

Em entrevista coletiva no início desta tarde, o presidente do PT, José Eduardo Dutra, disse que o partido vai entrar com uma ação criminal por injúria e difamação e uma ação civil por danos morais contra Índio, e uma ação eleitoral contra o PSDB. No processo, o PT pedirá direito de resposta a ser veiculada no site do PSDB, já que foi neste espaço que o partido divulgou as declarações do deputado.

 

O partido também não descarta uma ação civil contra o PSDB caso o partido não se manifeste através de uma desautorização a Índio da Costa até o meio dia de terça-feira, 20.

 

O secretário-geral do PT, José Eduardo Martins Cardoso, declarou que "em relação à ação eleitoral, obviamente é o PSDB o responsável pelo conteúdo do site". Se o PSDB não se pronunciar contra o que o deputado disse, vamos entender que há uma concordância do PSDB com a fala do deputado Índio", acrescentou Cardoso

 

Dutra, seguiu o mesmo discurso: "Não vou fazer qualquer ilação sobre os motivos que o levaram a fazer tal declaração", disse. "Ele fez afirmações categóricas de que o PT é cúmplice do narcotráfico", finalizou.

 

Bernardo, por sua vez, aproveitou as declarações para desqualificar o vice de Serra. "O comportamento desse rapaz mostra que ele não está preparado. É uma pessoa despreparada", criticou Bernardo. O ministro também procurou usar o episódio para atacar a candidatura tucana. "E é ruim para o candidato da oposição colocar uma pessoa que se comporta como um idiota, porque, francamente, o comportamento dele é de idiota", concluiu.

 

Constrangimento

 

De acordo com o advogado do PT, Pierpaolo Bottini, a expectativa é de que a legenda dê entrada ainda nesta segunda aos pedidos de abertura de ação penal contra o parlamentar por injúria e difamação. O advogado informou que a legenda deve pedir ainda direito de resposta às declarações do candidato a vice.

 

Embora o site Mobiliza PSDB tenha retirado do ar o vídeo no qual Índio ligou o PT às Farc, é possível assistir a íntegra da entrevista pelo YouTube.

 

De acordo com fontes no DEM, o deputado desembarcou nesta segunda em São Paulo para uma reunião com a cúpula da campanha. Mesmo aliados da campanha do PSDB admitiram que Índio da Costa errou a mão nos ataques feitos ao PT e à Dilma. O presidente do PSDB, Sérgio Guerra, preferiu se esquivar do assunto. Disse que preferia se manifestar depois de conversar com o vice de Serra.

 

Segundo um dos coordenadores da campanha do presidenciável tucano, as declarações são resultado da falta de experiência do deputado: "O Índio é um pouco inexperiente, pode dar algumas bolas foras no começo, mas conforme a campanha for avançando, ele vai acertar o discurso."

 

Questionado se será necessário enquadrar o candidato a vice, o tucano classificou o episódio como "parte natural da campanha". "O assunto (a ligação das Farc com o PT) sempre volta porque o PT nunca mostrou disposição em esclarecer essa relação", acrescentou.

 

O presidente do PPS, Roberto Freire, vê na polêmica um artifício para que o PT se desvie do debate eleitoral. "Esse é o tipo de assunto que desvia o debate que a candidata do PT se nega a fazer, que é sobre os problemas do País", disse.

 

Com informações de André Mascarenhas, Gustavo Uribe, Rafael Moraes Moura e Rodrigo Alvares

 

Assista aos vídeos

 

Indio da Costa ao vivo - parte1

 

Indio da Costa ao vivo - parte2

Indio da Costa ao vivo - parte3

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.