André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Temer vai partir para 'duelo' com Janot, em pronunciamento no sábado

Discurso do presidente deve atacar procurador-geral, cujo mandato encerra no domingo, 17

Carla Araújo e Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

15 Setembro 2017 | 19h40

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer decidiu que fará um pronunciamento no sábado, 16, a respeito da segunda denuncia apresentada ontem pelo Procurador-Geral da república, Rodrigo Janot, por organização criminosa e obstrução de justiça. A fala acontecerá em Brasília, no Salão Leste do Palácio do Planalto, de acordo com fontes.

Segundo uma fonte, o discurso deve marcar um embate direto de Temer com Janot, cujo mandato se encerra no domingo. Neste duelo, Temer vai fazer sua defesa e, segundo um auxiliar, “conversar” com o Janot sobre suas ações.  

A fala de Temer deve trazer ainda algumas das referências que constaram na nota distribuída ontem pelo Planalto após a apresentação da segunda denúncia.

No texto, o Planalto afirmou que a segunda denúncia é “recheada de absurdos”, “falta de credibilidade” e “realismo fantástico em estado puro”. “A segunda denúncia é recheada de absurdos. Fala de pagamentos em contas no exterior ao presidente sem demonstrar a existência de conta do presidente em outro país. Transforma contribuição lícita de campanha em ilícita, mistura fatos e confunde para tentar ganhar ares de verdade. É realismo fantástico em estado puro”, disse, em nota, a Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência.

A Secom afirmou ainda que Janot empreende uma “marcha irresponsável para encobrir suas próprias falhas” ao levar ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma denúncia por organização criminosa e obstrução da Justiça. “(Janot) finge não ver os problemas de falta de credibilidade de testemunhas, a ausência de nexo entre as narrativas e as incoerências produzidas pela própria investigação, apressada e açodada”, disse.

A nota acusou o procurador-geral de não zelar pelo trabalho e afirmou que o chefe do Ministério Público Federal (MPF), “por incompetência ou incúria, coloca em risco o instituto da delação premiada”. O comunicado afirmou também que a delação é “fraudada”. Raquel Dodge assume a PGR na segunda-feira. Temer fará também um discurso na posse da nova procuradora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.